(FILES) In this file illustration photo taken on April 13, 2020, the social media application logo for TikTok is displayed on a smartphone screen in Arlington, Virginia. – TikTok must either be sold or blocked in the US due to national security concerns, Treasury Secretary Steven Mnuchin said August 2, 2020 in the latest ominous US warning to the Chinese-owned app. TikTok, he said, simply “cannot exist as it does.”Mnuchin did not comment directly on President Donald Trump’s threat Friday to bar the wildly popular video-sharing app. (Photo by Olivier DOULIERY / AFP)

O TikTok deve ser vendido ou bloqueado nos Estados Unidos por razões de segurança nacional, disse o secretário do Tesouro Steven Mnuchin no último aviso divulgado pelo governo Donald Trump contra o popular aplicativo de propriedade chinesa. 
Mnuchin afirmou à rede de televisão ABC que o TikTok simplesmente “não pode existir como existe” atualmente. 
“Vou dizer publicamente que o comitê inteiro concorda que o TikTok não pode permanecer no formato atual porque corre o risco de enviar informações (para a China) sobre 100 milhões de americanos”, afirmou Mnuchin. 
O funcionário não comentou diretamente a ameaça feita por Trump na sexta-feira de proibir nos Estados Unidos o aplicativo criado para compartilhar vídeos de entretenimento que tem de cerca de um bilhão de usuários em todo o mundo.
Mnuchin lembrou que o Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos, presidido por ele, está avaliando o TikTok, especialmente popular entre os jovens que criam e assistem seus vídeos curtos.
Essa é uma das muitas frentes das tensas relações entre os Estados Unidos e a China, que se tornaram especialmente difíceis atualmente. 
Autoridades americanas disseram que o TikTok poderia ser uma ferramenta a serviço da inteligência chinesa, algo que a empresa nega.
O secretário assegurou que falou com os líderes do Congresso, entre eles, a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, sobre como lidar com o TikTok nos Estados Unidos. 
O New York Times informou no sábado que a ByteDance, empresa chinesa da TikTok, se ofereceu para vender a filial nos EUA, enquanto vários divulgaram que a gigante da tecnologia Microsoft está em negociações avançadas para comprá-la. 
Vanessa Pappas, responsável pela filial americana do aplicativo, disse no dia anterior que a empresa não tinha “planos” de deixar os Estados Unidos e que os rumores sobre a venda eram “especulação”.

diariodepernambuco