Uma confusão no vestiário da arbitragem marcou o amistoso entre Coruripe e ASA, nesta quinta à noite, no Estádio Gerson Amaral, em Coruripe. Segundo o árbitro Jobson Júnior, o técnico Celso Teixeira, do ASA, foi ao vestiário de arbitragem após o jogo, eles se desentenderam, mas não houve agressão.

Jobson deslocou um dos ombros e chegou a ir para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Coruripe. A reportagem apurou que o árbitro se submeteu a exames, que não constataram fraturas, e ele foi liberado.

Nesta sexta, Jobson deu sua versão sobre o caso.

– Não houve agressão nenhuma. Realmente, eu machuquei o ombro, mas foi na hora do tumulto. Quando acabou o jogo, eu já estava no vestiário e aí o professor Celso entrou querendo alguns esclarecimentos, que também não achei necessidade. Aí, naquele tumulto todo, entraram algumas pessoas e foi aquele tira pra lá, tira pra cá, sem necessidade. Teve uma pessoa que me puxou, pra sair de cima dele. Eu não desloquei, machucou meu ombro. Mas eu fui na UPA só por precaução pra ver se tinha acontecido coisa mais séria, mas graças a Deus não aconteceu nada. Só pra esclarecer que não houve nenhum tipo de agressão. Acho que por conta do tumulto, disse me disse, o pessoal pensou que o professor Celso tinha me agredido, mas não houve agressão, não, porque, se tivesse me agredido mesmo, realmente, eu tinha dado parte (à polícia) dele – explicou Jobson.

Policiais que trabalhavam no estádio informaram que chegaram a conversar com Celso, mas, como não houve queixa do árbitro, o técnico foi liberado.

O início do problema


Celso e o árbitro haviam se estranhado no intervalo da partida, quando o técnico do ASA foi expulso de campo. Ele ficou na arquibancada e, após a derrota do seu time por 2 a 1, foi ao vestiário falar com Jobson.

Filho do preparador de goleiros


Chama atenção ainda o fato de o árbitro ser filho de Jobson Bezerra, preparador de goleiros do ASA e integrante da comissão técnica de Celso.

Outro lado

O ASA emitiu nota oficial nesta quinta e também deu a versão do técnico sobre o caso. Informou ainda que Celso chegou a conversar com Jobson após o tumulto.

– A Agremiação Sportiva Arapiraquense (ASA) vem a público esclarecer os fatos ocorridos na noite desta quinta-feira (6) após o amistoso entre o Alvinegro e o Coruripe. Com o apito final, o técnico Celso Teixeira foi ao vestiário dos árbitros da partida para argumentar pontos relacionados ao jogo, gerando, dessa forma, princípio de discussão entre as partes.

Posteriormente ao ocorrido, ambos tiveram uma conversa, na qual a situação foi apaziguada. O comandante alvinegro desculpa-se pelo acontecido, colocando-se à disposição para quaisquer esclarecimentos sobre o ocorrido nesta quinta-feira – diz a nota do ASA.

com GE/AL