Crescimento foi de mais de 2.000% na comparação com abril, resultado do retorno das atividades nas fábricas

Produção de veículos no Brasil sobe em maio, mas cai em relação a 2019

A produção de veículos no Brasil cresceu 2.232% no último mês de maio na comparação com abril, mas ainda registra um tombo de 84,4% em relação a maio de 2019. Os números foram divulgados nesta sexta-feira (5) pela associação das fabricantes, a Anfavea.

Na prática, o crescimento impactante reflete apenas o retorno das atividades de algumas fábricas. No mês de abril, praticamente todas ainda estavam paralisadas como medida de distanciamento social pela pandemia do coronavírus.

Em maio, foram produzidos 43.080 automóveis, comerciais leves (picapes e furgões), caminhões e ônibus, contra 1.847 do mês anterior. No mesmo período de 2019, a produção foi de 275.747 unidades.

“É o pior maio desde 1992”, disse Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

O acumulado do ano também teve resultados negativos, por consequência. A variação foi de 49,2% para menos, passando de 1.241.155 em 2019, para 630.819 em 2020.

Por segmento

Os melhores e os piores números ficaram para os veículos leves (automóveis e comerciais leves), com crescimento de 3.507% em relação a abril e queda de 85,6% a maio do ano passado. Entre os caminhões, houve subida de 906% e caída de 63,9%, respectivamente.

Os ônibus, com menores números absolutos, têm recuperação e quedas menores, de 208% e 56,1%.

Exportações não sobem

Apesar da retomada das atividades e da aparente recuperação da indústria, as exportações permanecem com resultados negativos em todas as comparações. A Argentina, principal importadora de veículos do Brasil, ainda segue rígidas regras de isolamento social pela Covid-19.

Em relação a maio do ano passado, os números despencaram 90,8% (de 42.126 para 3.870). Comparando com abril, que registrou 7.212 veículos exportados, a queda foi de 46,3%. No acumulado, a variação negativa foi de 44,9%.

Entretanto, os segmentos de caminhões e ônibus tiveram mais unidades enviadas para fora do país. Os caminhões viram os números subirem 193% e, os ônibus, 280%.

Licenciamentos

Os licenciamentos apresentados pela Anfavea tiveram números semelhantes aos dos emplacamentos, divulgados pela Fenabrave.

Houve uma queda de 74,7% na comparação com maio de 2019, mas crescimento de 11,6% em relação a abril de 2020. No acumulado a queda é menor, de 37,7%.

Por G1