Ao todo, serão cumpridos 36 mandados de prisão e busca e apreensão contra organização criminosa envolvida no tráfico de drogas.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública de Alagoas (SSP) coordenou, nesta quinta-feira (23), uma operação integrada entre as Polícias Civil e Militar, com objetivo de cumprir oito mandados de prisão e 28 de busca e apreensão contra uma organização criminosa envolvida com tráfico de drogas. A operação ganhou o nome de Escobar e cumpre mandados em Alagoas, Paraíba, Minas Gerais e São Paulo. Até o momento, sete pessoas foram presas, e oito veículos foram apreendidos.

As investigações foram realizadas pela Divisão Especial de Investigações e Capturas (DEIC), da Polícia Civil de Alagoas, e durou um ano, o que demonstra a complexidade da organização criminosa. Ao longo do trabalho investigativo, ficou constatado que o grupo criminoso movimentou mais de R$ 7,5 milhões em um período de quatro anos de atuação, fruto da comercialização ilícita principalmente de cocaína.

Além disso, demonstrou-se também, ao longo da investigação, a prática do crime de lavagem de capitais, sendo inclusive usada atividade pecuarista e “laranjas” para tentar mascarar a origem ilícita do dinheiro oriundo do comércio ilegal de entorpecentes.

Ainda segundo as investigações, os fornecedores das drogas residem nos estados de São Paulo e Minas Gerais e de lá enviavam os entorpecentes para serem distribuídos em Alagoas nos municípios de Maceió, Boca da Mata, Satuba, Palmeira dos Índios, Rio Largo e Barra de São Miguel. A droga também era enviada para a cidade de Caaporã na Paraíba.  

A SSP destacou que o principal líder da organização criminosa em Alagoas já foi preso em operação do Ministério Público do Estado (MPE/AL) no ano de 2014. Na época, foi apreendido um veículo de luxo, uma arma de fogo e 130 kg de maconha.

Com base nas provas técnicas produzidas pela investigação, a DEIC realizou a representação dos mandados de busca e apreensão, prisão preventiva e sequestro de bens, que foram expedidos pela Justiça alagoana por meio da 17ª Vara Criminal da Capital. 

Ascom SSP-AL