Médico nutrólogo indica cinco tipos de alimentos para cuidar da saúde do coração e explica hábitos que fortalecem o órgão.

Dia Mundial do Coração: 5 alimentos que fortalecem a saúde do órgão

Sendo assim, é fundamental ter boas noites de sono, praticar atividades físicas regulares e manter uma alimentação balanceada. Esses são os três pilares básicos para manter um bom funcionamento cardíaco. Dessa forma, o cuidado com esses fatores deve ocorrer não apenas no Dia Mundial do Coração, mas durante toda a vida.

“Exercícios, sono, redução do estresse, uma dieta saudável e acompanhamento médico e nutricional desempenham papéis cruciais na proteção da saúde em sua totalidade. Outras sugestões que você pode adotar para apoiar o seu sistema imune são: evitar fumar, beber álcool apenas com moderação, manter um peso saudável e tentar controlar as condições de saúde implícitas. A soma desses hábitos levam a uma saúde geral melhor e a uma melhor chance de proteger seu coração”, afirma o médico nutrólogo Dr. Ronan Araujo, membro da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica.

Alimentos para o Dia Mundial do Coração

Como vimos, um dos principais fatores que podem influenciar a saúde do coração é, justamente, a alimentação. Portanto, com a ajuda do Dr. Araujo, separamos cinco ingredientes fundamentais para você incluir na dieta do Dia Mundial do Coração e durante todo o ano. Confira:

Vegetais

A maioria dos vegetais de cores vivas contém naturalmente altos níveis de compostos protetores. Ou seja, vegetais verdes com folhas, como espinafre, couves e brócolis, contêm antioxidantes que protegem as células dos efeitos nocivos do excesso de radicais livres. Já as cebolas são uma fonte rica de polifenóis anti-inflamatórios.

Frutas

Frutas silvestres, incluindo morangos, mirtilos e framboesas, são uma fonte especialmente rica em antioxidantes e compostos anti-inflamatórios. Sendo assim, além de poder comê-los por si só, você pode usá-las em receitas, saladas e sobremesas.

Oleaginosas e sementes

“As oleaginosas são potências nutricionais. Ou seja, elas fornecem proteínas, fibras, antioxidantes e gorduras insaturadas que ajudam a reduzir o colesterol e a proteger o coração.” ressalta o Dr. Araujo.

Algumas variedades de nozes, castanhas e sementes também são ricas em ácido alfa-linolênico, um tipo de ácido graxo ômega-3 com propriedades anti-inflamatórias. Sendo assim, segundo o especialista, estudos descobriram que o consumo de oleaginosas e sementes está associado a marcadores reduzidos de inflamação e a um menor risco de doenças cardiovasculares e de diabetes tipo 2.

Peixes gordurosos

Peixes gordurosos, como salmão, sardinha, anchova e cavala, oferecem doses saudáveis de ácidos graxos ômega-3. E o poder dessa substância no combate à inflamação reside em sua capacidade de interromper a produção de citocinas, a chave para a resposta inflamatória do corpo.

Óleos saudáveis

Os óleos são outra fonte abundante de ácidos graxos insaturados, desde que você os escolha com sabedoria. Os mais recomendados são azeite de oliva, óleo de nozes, óleo de linhaça e óleo de canola, que podem ajudar a reduzir o colesterol e o risco de doenças cardíacas. Use-os nas receitas e regue-os nas saladas

saudeemdia