Como já alertado por médicos infectologistas, as duas primeiras semanas do mês de julho mostraram um considerável aumento na média de óbitos e de casos de Covid-19 em Alagoas. Em 12 dias, foram 7.685 diagnósticos positivos para a doença, com 44 pessoas mortas após contrair o vírus. Uma média de 640,4 casos e 3,6 mortes por dia.

Em comparação com o mês de junho, durante o mesmo período, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) registrou, agora em julho, 10 vezes mais casos. Os 12 primeiros dias do mês junino tiveram 709 testes positivos para o coronavírus, com uma média de 59 casos por dia.

Os dados sobre as mortes também chamam a atenção. Ninguém morreu por causa da Covid nesse intervalo de tempo, enquanto no mês atual o número já chegou a 44. Inclusive, do dia 1º até o dia 12, o Estado registrou óbitos em todos os boletins divulgados. Os dias 2, 3 e 4 foram as datas com menos mortes: duas vítimas em cada dia. Porém, o dia 11 foi o dia mais letal até o momento, com sete óbitos registrados.

Desde o início da pandemia, Alagoas contabiliza 6.997 mortes e é um dos 13 estados do Brasil que apresentam atualmente curva de morte em alta pela doença.

Boletim registra mais mortes nessa terça – O informe epidemiológico de monitoramento da Covid-19 da Sesau confirmou mais três mortes e 470 novos casos na última terça. As vítimas eram dois homens e uma mulher de 78, 70 e 86 anos, respectivamente. 

A mulher de 86 anos residia em Delmiro Gouveia, tinha diabetes e faleceu no Hospital Regional do Alto Sertão, em Delmiro Gouveia. O homem de 70 anos morava em em Coruripe, tinha doença respiratória crônica e faleceu em casa. A outra vítima do sexo masculino residia em Taquarana, tinha hipertensão, diabetes e nefropatia e faleceu no Hospital Veredas, em Maceió.

tnh1