O novo boletim médico, divulgado nesta segunda-feira, 20, pelo Hospital Geral do Estado (HGE), diz que o estado de saúde da motorista por aplicativo, Alayne da Silva Oliveira, de 28 anos, que foi baleada após ser sequestrada, é considerado estável.

De acordo com informações da unidade hospitalar, a paciente foi submetida a um procedimento cirúrgico no crânio e segue em recuperação pós anestésica (RPA). Alayne da Silva deu entrada no HGE às 8h53 desta segunda-feira com ferimento na cabeça causado por arma de fogo.

Informações policiais dão conta que a motorista conduzia o veículo Ford Ka prata, de placa FVT1A18, quando deixou de responder a contato de familiares. A vítima teria informado o marido que iria levar uma passageira e iria encontrá-lo por volta das 22h para fazer um lanche, mas desapareceu. A motorista trabalhava apenas transportando mulheres.

A empresa e o seguro foram acionados e passaram a rastrear o veículo, que foi encontrado no bairro do Vergel do Lago, na região sul da capital. Dezenas de motoristas se mobilizaram, então, com o apoio da Polícia Militar, para tentar localizar a jovem.

Depois de horas de buscas, a jovem foi encontrada por volta das 2h de hoje numa estrada vicinal que dá acesso a 6km da Usina Cachoeira do Meirim, no Benedito. Ela foi alvejada com dois tiros na região da cabeça e no tórax e teria se fingido de morta para fugir dos bandidos.

AL24HS