A Polícia Federal em Alagoas confirmou a realização de uma operação que visa ao cumprimento de dez mandados de brusca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Federal contra suspeitos de fraudar o auxílio emergencial. Os mandados estão sendo cumpridos em Alagoas e Pernambuco.

A investigação foi iniciada em 2021 após proprietários de lotéricas identificarem que funcionários estavam sendo cooptados para ativação indevida do aplicativo CAIXA TEM, realizada pelos empregados cooptados, com o cadastramento e validação imprópria de inúmeros CPFs, o que resultou em vários pagamentos fraudulentos de auxílios emergenciais, em prejuízo ao erário.

Ainda segundo a PF, os domicílios daqueles que tiveram os CPFs indevidamente ativados são totalmente diversos e muito distantes do local do cadastro e ativação do CAIXA TEM. Os alvos ainda possuem considerável quantidade de contas bancárias, característica comum entre os fraudadores investigados na Banco Nacional de Fraude ao Auxílio Emergencial, que se utilizam desse artificio para otimizar e facilitar a movimentação de dinheiro oriundo de fraudes.

Os indiciados ficarão à disposição da Justiça Federal para responder pelos crimes de estelionato majorado (art. 171, §3º, do CP) e associação criminosa (art. 288 do CP), que somados podem chegar a 8 anos reclusão.

Ascom PF