Pesquisa publicada na revista British Medical Journal mostra que vacinação diminui a chance de problemas de coagulação

Pesquisa analisou dados de mais de um milhão de pessoas que tiveram Covid-19 entre fevereiro de 2020 e maio de 2021

Desde o começo da pandemia de Covid-19, um dos sinais mais preocupantes causados pela infecção são os coágulos sanguíneos. Uma nova pesquisa da Universidade de Umea, na Suécia, publicada na revista científica British Medical Journal (BMJ), confirma a ligação entre a doença causada pelo coronavírus e casos de trombose venosa profunda, embolia pulmonar e sangramentos internos (como o AVC, por exemplo).

A pesquisa analisou dados de mais de um milhão de pessoas que tiveram Covid-19 entre fevereiro de 2020 e maio de 2021 na Suécia. Os resultados foram comparados às informações de outros quatro milhões de indivíduos que não tiveram a infecçã

Segundo o levantamento, que foi feito antes da população ser vacinada, pessoas que tiveram Covid-19 têm mais chance de desenvolver trombose venosa profunda (quatro em cada 10 mil pacientes, em comparação com um a cada 10 mil em pacientes sem a doença) — o risco é ainda maior nos três primeiros meses após a infecção.

No caso da embolia pulmonar, os casos são mais frequentes nos seis primeiros meses depois da contaminação com o vírus. A frequência é de 17 a cada 10 mil pacientes, maior do que nos indivíduos que não tiveram Covid-19 (um a cada 10 mil). No caso de quadros graves, o risco é 290 vezes maior em quem teve a infecção.

Segundo os pesquisadores, os casos foram maiores na primeira onda da pandemia. Com o passar dos meses, o tratamento se tornou mais eficiente e a vacina ajudou ainda mais a diminuir a frequência dos coágulos e hemorragias.

“Para pessoas não vacinadas, esse é um bom motivo para se vacinar: o risco é muito maior do que o das vacinas“, explica a pesquisadora Anna-Marie Fors Connolly, principal autora do estudo, em entrevista à BBC.

Ela explica que, apesar dos resultados, ainda não há prova concreta que a Covid-19 seja a responsável pelos coágulos. O estudo só mostra que há uma relação entre a doença e os sinais, mas não consegue descobrir por que acontece.

Metrópoles