Cerca de 30 escolas participarão do projeto até a próxima sexta-feira

A primeira Olimpíada de Matemática de Maceió (OM²), que começou nesta quarta-feira (3), marca um novo olhar em relação à matemática pela rede municipal. Serão cerca de dez mil alunos, do 1° ao 9° ano do ensino fundamental, que até sexta-feira (5) medirão os seus conhecimentos em relação à disciplina. Além da experiência de passar pelo projeto, os três alunos com maior pontuação receberão prêmios por parte da Prefeitura de Maceió.

Com  número de inscritos superando as expectativas, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) garantiu todos os protocolos sanitários para as realização da olimpíada, assegurando seu sucesso e marco na história na rede municipal. As provas estão divididas em 4 fases de nível: 1º e 2º anos com o nome de Pontal da Barra,  3º e 5º anos chamado de Pajuçara, 6º e 7º anos de Ponta Verde, e 8º e 9º anos com o nome do bairro de Ipioca.

O intuito da olimpíada é promover a matemática entre os alunos, construindo uma relação mais próxima e interessante com a disciplina. De acordo com a coordenadora do ensino fundamental da Semed, Juliane Medeiros, o acesso à matemática é um direito das crianças e adolescentes, e a olimpíada é uma importante ferramenta para efetuar essa garantia.

Coordenadora do ensino fundamental da Semed, Juliane Medeiros Foto: Leonardo André (Ascom Semed)

“A matemática é um direito fundamental a todas as crianças e adolescentes, na formação integral do estudante ́e é preciso acrescentar conhecimentos básicos da matemática. A partir disso, nós trabalhamos essa olimpíada para motivar, incentivar e promover aprendizagens da matemática de uma maneira mais efetiva para os nossos estudantes”, diz a coordenadora.

Isso é perceptível vendo a resposta da comunidade escolar com o impacto que OM² está tendo. Claudinete Lima, coordenadora  da escola Pompeu Sarmento, localizada no Barro Duro, explica que o projeto é uma forma diferente e lúdica de aproximar os alunos da matemática.

Coordenadora da Escola Pompeu Sarmento, Claudinete Lima Foto: Ascom Semed

“O diferencial desse projeto é que ele trabalha a valorização do universo matemático de forma lúdica, divertida e criativa. Dessa forma, valorizamos e incentivamos os alunos aos conhecimentos matemáticas”, explica a coordenadora.

Isso fica claro com a empolgação dos estudantes,  como os da escola Silvestre Péricles, localizada no Pontal da Barra. A coordenadora da unidade  Maria Cristina de Albuquerque Araújo Freitas, conta como a ideia da olimpíada empolgou os alunos.

Maria Cristina de Albuquerque Araújo Freitas, coordenadora da escola Silvestre Péricles Foto: Acervo pessoal

“Essa foi uma ideia maravilhosa para os nossos alunos. Quando passamos sobre o projeto aos alunos, eles ficaram muito empolgados e motivados a participar da olimpíada, até porque eles estão participando de um momento histórico para a educação do Município”, conta a coordenadora.

Ascom Semed