A gigante de games Electronic Arts decidiu não renovar o contrato milionário de licenciamento com a FIFA. Em nota divulgada nesta quinta-feira, 7, o diretor-geral da produtora, Cam Weber disse que o tradicional jogo de futebol para consoles e computadores, lançado pela primeira vez em 1993, deve mudar de nome. O acordo atual termina no fim de 2022.

Atualmente, a EA paga para a Fifa cerca de 100 milhões dólares (548 milhões de reais, em conversão direta) por ano pelo licenciamento, o que pode explicar a decisão da desenvolvedora. Além do uso do nome, a gigante de games também pode produzir conteúdo de jogos da Copa do Mundo e ser parceiro da Fifa na organização de campeonatos de eSports, como o FIFAe World Cup.

A empresa fez questão de informar que a mudança não impactará seus acordos com atletas, ligas, equipes e federações, como com a Conmebol, Serie A italiana, Bundesliga, Premier League, entre outras. “Ao olhar para o futuro, também estamos explorando a ideia de mudar o nome dos nossos jogos globais de futebol da EA Sports. Isto significa que estamos revisando o nosso acordo para os direitos do nome com a FIFA, algo separado de todas as outras parcerias oficiais e licenças por todo o mundo do futebol” explicou Weber.

Na mesma nota, a empresa aproveitou para anunciar um recorde com o lançamento de FIFA 22, que viu mais de 9,1 milhões de jogadores juntarem-se ao jogo em apenas alguns dias. A desenvolvedora destacou também estar orgulhosa do resultado que entregou ao público.

A principal especulação no momento é qual seria o novo nome do principal game de futebol do mundo. Caso siga o que faz com o game da NFL, que usa o nome do ex-técnico da liga John Madden, o Fifa pode ter o nome de um ícone do futebol.

Se a mudança se confirmar, a EA Sports seguirá o mesmo caminho de seu principal concorrente no segmento, o eFootball, antigo PES. Além da alteração do nome, o game da Konami alterou seu modelo de venda, que agora oferta o conteúdo básico do jogo gratuitamente, com o acesso cruzado (crossplay) entre todas as plataformas. O lançamento, porém, foi desastroso e fez a desenvolvedora japonesa pedir desculpas para os fãs.

FONTE: G1