O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL), desembargador Otávio Leão Praxedes, esteve em Brasília na última semana para cumprir agenda institucional e entre as pautas havia o caso da eleição suplementar da cidade de Campo Grande, no Agreste de Alagoas.

A cidade de Campo Grande terá nova eleição após decisão do TSE que, no dia 17 de dezembro de 2020, cassou a chapa do prefeito eleito na cidade, Arnaldo Higino. A vitória nas urnas de Higino ocorreu no período em que a chapa estava sub-júdice, quando ele estava sendo acusado de improbidade administrativa e pela prática de candidatura itinerante.

Após a decisão do TSE, foi definido que as eleições na cidade ocorreriam no dia 11 de abril, mas foi suspensa em razão do grande aumento no número de casos de Covid-19 em Alagoas.

A eleição para Prefeito em Campo Grande conta com três chapas devidamente regularizadas e encabeçadas por Téo Higino, Cícero Pinheiro e Inês Corrêa.

Em reunião com o os ministros Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e Luiz Fux, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), na última semana, o presidente do TRE tratou acerca da eleição na cidade alagoana e sobre o reforço orçamentário para o pleito.

Apesar disso, ainda não foi definida a data de eleição na cidade. Conforme a Assessoria de Comunicação do TRE Alagoas, na próxima semana, dia 23 de junho, haverá uma definição da data para o pleito eleitoral em Campo Grande.

jaenoticia