O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), deste domingo (13/6), confirma mais 734 novos casos de Covid-19 em Alagoas. Dessa forma, o estado tem um total de 203.226 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 3.517 estão em isolamento domiciliar. Outros 193.884 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença. Há 14.933 casos em investigação laboratorial. Foram registradas 18 mortes em território alagoano. Com isso, Alagoas tem 5.002 óbitos por Covid-19.

Os casos confirmados de pessoas com a Covid-19 estão distribuídos nos 102 municípios alagoanos. Em relação ao quadro total de óbitos em Alagoas, estão confirmados 5.002 óbitos por Covid-19, mas, oito deles, eram de pessoas residentes em Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia, tendo como vítimas seis homens e duas mulheres. Dos 4.994 óbitos de pessoas residentes em Alagoas, 2.775 eram do sexo masculino e 2.219 do sexo feminino. Eram 2.245 pessoas que residiam em Maceió e as outras 2.749 moravam no interior do Estado, segundo o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), da Sesau.

Óbitos – No boletim deste domingo (13/6), mais 18 mortes foram confirmadas, laboratorialmente, por causa do novo coronavírus, sendo seis vítimas da capital alagoana e 12 do interior do Estado. As vítimas de Maceió eram dois homens de 61 e 79 anos, além de quatro mulheres de 21, 37, 59 e 82 anos. O homem de 61 anos tinha doença cardiovascular, diabetes, hipertensão, era ex-tabagista e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; o homem de 79 anos tinha doença cardiovascular, diabetes, hipertensão, Alzheimer, sequelas de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), câncer de próstata e morreu na Santa Casa, em Maceió; a mulher de 21 anos era obesa e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 37 anos não tinha comorbidades e também morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 59 anos era diabética, hipertensa, imunossuprimida e morreu no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; e a mulher de 82 anos era diabética, hipertensa e morreu na Santa Casa, em Maceió.

Em relação às 12 vítimas que residiam no interior do Estado, eram sete homens 42, 60, 63, 67, 70, 77 e 81 anos, além de cinco mulheres de 36, 47, 65, 67 e 72 anos. O homem de 42 anos, morava em Piranhas, tinha transtorno psiquiátrico e morreu no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema; o homem de 60 anos, morava em Rio Largo, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; o homem de 63 anos, morava em Monteirópolis, tinha doença cardiovascular crônica e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; o homem de 67 anos, residia em Arapiraca, era tabagista, tinha Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e morreu Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; o homem de 70 anos, residia em Dois Riachos, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema; o homem de 77 anos, residia em Santana do Ipanema, tinha doença cardiovascular, diabetes e morreu também no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema; o homem de 81 anos, morava em Rio Largo, era hipertenso, diabético e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 36 anos, morava em Delmiro Gouveia, era transplantada renal e morreu no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema; a mulher de 47 anos, residia em Coqueiro Seco, tinha diabetes, hipertensão, era obesa e morreu no Hospital da Mulher (HU), em Maceió; a mulher de 65 anos, residia também em Coqueiro Seco, era diabética, hipertensa e morreu no Hospital Universitário (HU), em Maceió; a mulher de 67 anos, morava em Penedo, tinha doença cardíaca crônica e morreu no Hospital da Mulher (HU), em Maceió; e a mulher de 72 anos, morava em Santana do Ipanema, tinha doença cardiovascular e morreu também no Hospital Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema.


Agência Alagoas