Linhagem descoberta no Amazonas e outra do Reino Unido foram detectadas em testes no Estado

Em Alagoas, foram identificados 95 casos de infecção pela variante brasileira (descoberta no Amazonas) e uma do Reino Unido, como consta no boletim epidemiológico especial do Ministério da Saúde. As linhagens P.1 (Gamma) e B.1.1.7 (Alfa) que circulam no estado foram reveladas após sequenciamento genômico. De acordo com o MS, no boletim estão apresentados epidemiologicamente os resultados informados no período entre 9 de janeiro de 2021 (identificação da variante de preocupação ou VOC P.1 em Manaus/AM) a 5 de junho de 2021, quando terminou a semana epidemiológica 2 com base nos relatórios recebidos e que foram oficialmente notificados às secretarias de saúde.

Nesse período, em todo país, foram observados 4.820 registros de casos da Covid-19 pelas de variantes de atenção e/ou preocupação (VOC), identificados em 26 estados sendo: 3 casos da VOC B.1.351 (África do Sul); 9 casos da VOC B.1.617, da sublinhagem B.1.617.2 (Índia); 129 da VOC B.1.1.7 (Reino Unido) identificada em 12 unidades do país e 4.679 da VOC P.1 (Brasil).

P1 é mais frequente

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou, em nota, que a circulação de variante vem sendo monitorada pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) da Sesau e vigilâncias epidemiológicas municipais e que, de acordo com o Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL), não há, até o momento, nenhuma introdução de variantes que cause maiores preocupações ao Estado.

“O Lacen/AL reforça, ainda, que a variante a P.1, também conhecida como variante brasileira, é a que circula com maior frequência no Estado, e apesar de a P.1 consistir em amplo poder de transmissão do vírus, não há registros de ampliação da gravidade da pandemia em relação à variante circulante. Também já houve registro, no mês de fevereiro deste ano, de um caso da variante B.1.1.7 (Reino Unido), em uma pessoa residente em Maceió, no entanto o Lacen/AL explica que não houve estabelecimento da B.1.1.7 no Estado”, destaca a Sesau


Doze linhagens

Já os dados da Rede Genômica Fiocruz, a Fundação Oswaldo Cruz, apontam a presença de doze linhagens do coronavírus em Alagoas, dentre elas a P.1, variante brasileira, que surgiu em Manaus, P2 do Rio de Janeiro e B.1.1.7 (do Reino Unido). Nem todas as amostras oriundas do estado geram preocupação. Os primeiros casos em Alagoas de infectados por variantes do novo coronavírus foram confirmados no dia 28 de fevereiro de 2021: dois pacientes foram detectados com a variante de Manaus, a P.1: duas mulheres alagoanas das cidades de Viçosa (36 anos) e de Anadia, idosa de 64 anos.

Segundo o Ministério da Saúde, desde o ano 2000, como parte da rotina da vigilância dos vírus respiratórios a pasta orienta a realização de sequenciamento genético de uma parte das amostras coletadas no Brasil. Com a pandemia da Covid-19, esses exames continuaram sendo realizados.

gazetaweb.