Análise do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19 (OAPPEC) aponta que os números da Covid-19 seguem dando sinais de desaceleração da pandemia no estado. Pela 2ª semana seguida, houve diminuição dos casos confirmados, das mortes e das internações. Na última semana, foram confirmadas 4.338 casos e 144 óbitos pelo vírus em Alagoas, reduções de 7% e 5%, respectivamente, quando comparados aos números imediatamente anteriores.

Regionalmente, ainda são observadas instabilidades. Enquanto a 1ª Região Sanitária, que está entre as localidades de maior incidência de casos e óbitos, apresentou redução simultânea nos casos e mortes, locais como Maceió, Arapiraca e a 4ª Região Sanitária observaram aumentos no número de casos entre as duas últimas semanas epidemiológicas. As maiores incidências seguem em Arapiraca, Maceió e na Região Metropolitana (1ª RS), com 276, 187 e 170 casos por 100 mil habitantes cada.

Em relação aos óbitos, as maiores incidências foram em Arapiraca (6,9), Maceió (6,4) e na 10ª Região Sanitária (5,6), que registraram 6,9, 6,4 e 5,6 óbitos para cada 100 mil habitantes na 17ª semana epidemiológica. Os dados de testagem em Alagoas, disponibilizados pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen), não apresentaram mudanças significativas quando comparado à última semana. Entre os casos suspeitos, o boletim do último dia 01 registrava 9.995 casos.

Com relação aos testes RT-PCR realizados pelo Lacen ao longo da 17ª semana epidemiológica, 44% dos quase 14 mil realizados retornaram positivos, número similar ao observado nas últimas sete semanas. A ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 em Alagoas também reduziu no decorrer da semana. A ocupação que se encontrava em 82% ao fim da 16ª Semana Epidemiológica encerrou a última semana em 75%, abaixo da margem crítica de 80% onde se é recomendado o lockdown.

Como nos demais indicadores, a distribuição de leitos de UTI em Alagoas também é desigual. Dos nove municípios do estado que possuem leitos exclusivos para o tratamento da Covid-19, quatro seguem com ocupação igual ou maior a 80%: Palmeira dos Índios (100%), Santana do Ipanema (87%), Arapiraca (83%) e Porto Calvo (80%).

“Essa distribuição demonstra que o Sertão ainda é a região do estado que apresenta a maior taxa de ocupação de leitos de UTI, o que, apesar de poder ser explicado pelo menor quantitativo de leitos, indicada a criticidade do atual momento na região”, aponta o relatório.

Vacinação desacelera

O estado teve o menor número de doses aplicadas nas últimas 4 semanas. Foram somente 31.791 doses na 17ª Semana Epidemiológica, contra 66.894 doses aplicadas na semana anterior, uma queda de 52%.


GazetaWeb