Galo sofreu com o erro de arbitragem no segundo gol do Leão Azul, mas conquistou o seu primeiro ponto na competição

A principal competição da temporada regatiana teve início neste sábado (29). Porém, a estreia do CRB na Série B não foi nada feliz. Com dois gols do volante adversário Lucas Siqueira no primeiro tempo, sendo um com o jogador estando em posição de impedimento, o Galo amargou um empate com o Remo em 2 a 2 no Rei Pelé. Hyuri e Diego Torres, no finalzinho, anotaram os gols regatianos.

Com este resultado, o alvirrubros e azulinos conquistam seu primeiro pontinho na competição. A partida marcou o retorno do Remo à Segundona após ficar 14 anos revezando na disputa das Séries C e D.

Além do pontapé inicial na Série B, a partida deste sábado também foi a estreia de Allan Aal no comando da equipe regatiana. O técnico foi anunciado na última segunda-feira (24), horas depois da comunicação da demissão do então treinador Roberto Fernandes, após a perda do título estadual. O volante Marthã e o atacante Vitão, contratados no meio da semana, também realizam a primeira partida com a camisa alvirrubra.

Agora, o Galo busca se preparar para encarar um desafio gigante pela Copa do Brasil. Nesta quinta (3), a equipe regatiana irá receber o Palmeiras no jogo de ida da terceira fase da competição. A partida será realizada no Rei Pelé e tem o seu início previsto para às 21h30.

O Remo também segue vivo no torneio nacional. A equipe, que eliminou o CSA em pleno Trapichão na segunda fase da competição após cobranças de pênalti , irá encarar o Atlético-MG nesta quarta (2), às 19h. O palco do duelo será o Estádio Baenão, em Belém.

Os alvirrubros voltam a campo pela Série B apenas no próximo dia 6, um domingo, quando vai até Belo Horizonte para enfrentar o Cruzeiro no Mineirão, às 18h15. No mesmo dia, mas às 19h, o Leão Azul recebe o Brasil de Pelotas na sua estreia em casa no campeonato. As partidas são válidas pela segunda rodada.

Primeiro tempo

O início seguiu todo o script de uma estreia, tomado pelo frio na barriga dos jogadores nos primeiros cinco minutos de disputa. Porém, apesar de toda ansiedade pré-jogo, antes de dar o primeiro toque na bola em uma partida de Série B após 14 anos, foi o Remo quem conseguiu contornar melhor as emoções e tomou as primeiras atitudes ofensivas.

O Leão Azul, liderado pelo meia Felipe Gedoz, teve certa liberdade na região central do campo ofensivo e criou boas chegadas, acionando seus pontas e apostando na bola aérea. E foi exatamente assim que os paraenses abriram o placar. Após cobrança de lateral direto na área, a defesa regatiana bateu cabeça e Lucas Siqueira apareceu para inaugurar o marcador aos 10 minutos.

O capitão Lucas Siqueira aproveitou a falha da defesa regatiana para abrir o placar – Foto: Ailton Cruz

A equipe alvirrubra até ensaiou uma reação, chegando forte na bola parada, mas viu os remistas adiantarem a sua marcação e teve dificuldade para trocar passes desde a saída de bola. Com isso, o Leão Azul continuou com o ímpeto ofensivo e conseguiu ampliar aos 22′ num lance irregular.

Em cobrança de falta, Marlon soltou uma bomba à meia altura no meio do gol. O goleiro Diogo Silva não conseguiu encaixar e Lucas Siqueira, em posição de impedimento, pegou o rebote e balançou as redes. O bandeirinha teve sua ofuscada pelo sol ao desenrolar da jogada e não conseguiu enxergar o volante azulino à frente do penúltimo defensor regatiano, validando o segundo tento dos visitantes.

Em posição irregular, Lucas Siqueira fez o seu segundo gol na partida – Foto: Ailton Cruz

O Galo, que estava recuado até então, saiu para a partida e igualou a disputa, forçando um jogo morno até os 27 minutos, quando conseguiu descontar. Hyuri recebeu um bolão dentro da área, dominou no peito e deu um toque sutil para vencer o goleiro Vinícius da jogada e colocar o Regatas novamente na partida.

Dos 30 minutos até o fim do primeiro tempo, o equilíbrio voltou a tomar conta da disputa e as equipes chegaram a trocar golpes ofensivos. O Galo apostou no passe em profundidade, enquanto o Leão Azul seguiu se aproveitando da fragilidade da defesa regatiana na bola aérea. Apesar da insistência, o placar não foi alterado e a etapa inaugural chegou ao seu último apito na faixa dos 46′ com a derrota parcial do Regatas por 2 a 1.

Hyuri trouxe esperança aos regatianos com o gol no primeiro tempo – Foto: Ailton Cruz

Segundo tempo

O início da etapa complementar foi marcada pela mudança de postura do Galo em relação ao início da partida. A equipe regatiana fez volume no campo azulino e arquitetou chegadas buscando Hyuri, que protagonizou uma das melhores chegadas da equipe na partida, aos 3 minutos, quando conseguiu dominar uma bola difícil e fez o pivô para Calyson chegar batendo. O ponta não conseguiu acertar o chute e o Regatas perdeu uma grande chance.

Depois dos 10 minutos de sufoco, o Remo engatou seus 10 minutos de intensidade. A equipe paraense voltou a adiantar a marcação e conseguiu pressionar os regatianos. Assim como na primeira etapa, o Leão Azul ocupou bem as lacunas deixadas pela defesa alvirrubra e criou duas jogadas de bola aérea.

A partida ficou totalmente morna e a disputa se desenrolou no setor de meio campo após a faixa dos 25 minutos. Porém, após os 30′, a partida voltou a ficar movimentada e as equipes trocaram golpes ofensivos com uma certa frequência.

Depois de muito insistir, o Galo engatou sua melhor sequência na partida. Aos 32 minutos, Diego Torres recebeu uma boa bola na entrada da área, limpou a marcação e soltou a bomba. A redonda desviou na defesa e explodiu o poste esquerdo azulino. Porém, o lance de mais reclamação aconteceu aos 34, quando o árbitro marcou um impedimento duvidoso na sobra aproveitada por Calyson após chute de Claudinei. O atacante regatiano estava na cara do gol.

Apesar da bronca, o Regatas finalmente chegou ao empate na faixa dos 44′. Em cobrança de escanteio, Dudu levantou na área e Diego Torres, de cabeça, deixou tudo igual. Com o jogo em aberto, o árbitro estendeu a partida em mais 4 minutos. Nesse periodo de tempo, Torres teve a chance de anotar o tento da vitória em um chute de fora da área, mas a redonda, com perigo, saiu balançando as redes pelo lado de fora. Fim de jogo: CRB 2×2 Remo.

Ficha técnica

CRB – Diogo Silva; Reginaldo Lopes, Gum, Wesley Frazan e Guilherme Romão; Claudinei (Marthã), Carlos Jatobá (Jean Patrick) e Diego Torres; Calyson (Dudu), Erik (Vitão) e Hyuri. Técnico: Allan Aal.

Remo – Vinícius; Thiago Ennes, Rafael Jansen, Suélinton (Romércio) e Marlon; Lucas Siqueira, Anderson Uchoa e Felipe Gedoz; Jefferson (Rafinha), Lucas Tocantins (Erick Flores) e Renan Gorne (Edson Cariús). Técnico: Paulo Bonamigo.

Árbitro – Tiago Nascimento dos Santos (CBF-PE).

Assistentes – Clovis Amaral da Silva (CBF-PE) e Bruno Cesar Chaves Vieira (CBF-PE).

Quarto árbitro – Francisco Carlos do Nascimento (CBF-AL).

gazetaweb