Os delegados Lucimério Campos e José Carlos dos Santos concederam uma coletiva à imprensa na manhã desta quinta-feira (22) e deram detalhes sobre as investigações do caso do empresário Kleber Malaquias. Segundo os delegados, entre os autores materiais do crime estavam três militares. Dois já haviam sido expulsos da corporação e um ainda estava na ativa. O mandante do crime ainda não foi revelado pela polícia que diz já ter pistas dele.

Segundo a Polícia Civil, dois dos envolvidos eram amigos de Kleber e estavam com ele na mesa do bar. O empresário foi assassinado a tiros, no dia 15 de julho de 2020, no interior do bar da Buchada, localizado na Avenida Teotônio Vilela, Mata do Rolo, no município de Rio Largo. Ainda de acordo com os delegados, os suspeitos ainda chegaram a simular um socorro.

Para o delegado José Carlos, os presos na operação tiveram participação direta no homicídio. “Consideramos que a primeira fase da investigação, a execução do crime está esclarecida”.

Ainda conforme os delegados, dois suspeitos negaram as acusações. Conforme Lucimério Campos e José Carlos dos Santos, quem atirou na vítima foi um dos ex-policiais militares, que estava na mesa com Kleber.

Os delegados explicaram ainda que a operação foi batizada de SICÁRIOS por ser um típico homicídio mercenário, no qual os executores são contratados para matar a vítima por interesses de terceiros.

“O vasto conteúdo das investigações, resultado do incansável labor dos profissionais da Delegacia de Homicídios de Rio Largo, em cooperação com o valioso apoio técnico da Polícia Federal em Alagoas, traz elementos suficientes a subsidiar a representação pela prisão temporária dos investigados, além de cautelares por busca e apreensão no domicílio deles, com o fito de ultimarem a investigação quanto aos autores materiais e avançar contra eventuais mandantes”, concluiu o delegado Lucimério Campos, titular da DH de Rio Largo.

cadaminuto