A Justiça decidiu que o pai da menina de um ano e oito meses, que morreu após ser supostamente estuprada no início desta semana, deve continuar preso. A prisão em flagrante – em decorrência da suspeita de autoria do crime – foi convertida em preventiva.

Segundo o delegado Eduardo Méro, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que já havia solicitado a prisão preventiva do suspeito, a mãe da criança foi ouvida no dia do crime. “Estamos aguardando o resultado dos exames da perícia para finalizar o inquérito policial”, declara.

O acusado – que negou ter assassinado a própria filha – já possuía mandado de prisão em aberto desde 2018, na cidade de Barreiros, em Pernambuco, por estupro contra a filha mais velha que tinha 10 anos.

Além da suspeita do crime contra a filha menor e por responder pelo crime contra a filha mais velha, há informações sobre o envolvimento com o tráfico de drogas.

O CASO

Na última segunda-feira (4), a bebê foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jacintinho, em Maceió, com ferimentos nos órgãos genitais. Na unidade de saúde, o pai informou que ela teria caído do segundo andar de um prédio abandonado no bairro Mangabeiras, onde moram. A equipe médica, por sua vez, suspeitou dos ferimentos e avisou ao Conselho Tutelar, que acionou a Polícia Militar (PM).

jaenoticia