Nely Keldani foi diagnosticada com traumatismo craniano e sangramento interno

Karen Keldani, namorada da cantora Joanna, agrediu a própria mãe, Nely Keldani, após a progenitora descobrir que a filha desviava dinheiro de uma tia-avó. A agressão foi gravada pelas câmeras de segurança do prédio onde Nely mora, no bairro de Copacabana, Rio de Janeiro, e mostraram Karen a empurrando contra uma pilastra.

Após a violência, o irmão de Karen, Fábio Keldani, encontrou a mãe muito machucada e a levou para a clínica São José, onde foi constatado traumatismo craniano e sangramento interno.

A colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, ouviu Fábio, que esclareceu com riqueza de detalhes o motivo da confusão: “A Karen quase matou a minha mãe. Ela tem uma motivação, que é o dinheiro. Nós temos uma tia avó que mora comigo e com a minha mãe há quase cinco anos. A minha mãe confiava na minha irmã Karen e deixava ela cuidando do dinheiro da minha tia. De dois anos pra cá, começou a dizer que minha tia – que tem aposentadoria do Ministério da Fazenda – estava ficando dura e a vida dela (Karen) só crescendo. Ela começou a fazer plásticas, a bancar os próprios shows, porque ela é cantora católica. E a cada dia dizia que a minha tia estava sem dinheiro”, relatou ele.

E continuou: “Um dia a minha mãe pediu pra ver as contas da minha tia, porque a minha mãe é sobrinha de direta dela. E a minha irmã ficou muito nervosa e disse que não mostraria nada, que não tinha obrigação e que se a gente quisesse ver que a obrigasse a mostrar em juízo. Minha mãe achou muito estranho e pediu pra eu achar um advogado pra pedir a curatela da minha tia. Ganhamos a curatela e dali vimos que ela estava desviando o dinheiro da tia. Tudo que sobrava nas contas da minha tia ela transferia pra conta dela. Chegou a transferir mais de R$ 30 mil no mesmo mês”.

Fábio ainda afirmou que a irmã sequer prestou socorro à mãe: “Essa questão dos desvios virou um processo de prestação de contas. E no dia que começou esse processo novo, ela – que já havia agredido a minha mãe a jogando no chão – veio aqui no nosso prédio, chamou a minha mãe pra descer com o filho dela. Quando minha mãe desceu, ela tomou o celular da minha mãe para pegar as informações confidenciais do processo. E a minha mãe pede o celular de volta e tenta pegar. A minha irmã empurra minha mãe de 66 anos contra uma pilastra de mármore aqui do prédio”, disse.

Além disso, Fábio conta que a irmã não prestou socorro. “Continuou com o celular da minha mãe e sai correndo. Quando eu desci e vi minha mãe caída, ela estava com a nuca sangrando e me pediu pra levá-la até a clínica São José, pois ela não estava nem conseguindo levantar direito. Chegando na clínica ela teve convulsão, traumatismo craniano e sangramento interno. A pancada atrás foi tão forte que ainda quebrou a órbita ocular dela na frente”, concluiu.

Fonte: Diário Online com informações de Fábia Oliveira/O Dia