Alexandre Ayres e o governador Renan Filho em coletiva

Com 10 casos suspeitos de coronavírus em Alagoas e um confirmado, o governador Renan Filho anunciou em coletiva à imprensa na manhã desta sexta-feira (13), que recomendou a suspensão de todos os passeios dentro do Estado por meio das agências de turismo de quem vai chegar por navio em Maceió.

Renan disse ao tomar essa medida, o Estado tem uma atuação assertiva diferente dos outros estados do Brasil. “A gente compreende que nesse momento que o surto está ampliando e que o Brasil começa a apresentar sinais que vamos passar a ter o contágio doméstico. Vários infectologistas nacionais apresentando de que teremos uma progressão geométrica, nós estamos tomando medidas preventivas”.

O governador disse que é Alagoas é um local turístico, mas que nesse momento a intenção é preservar a saúde do povo alagoano, e redução de risco de contágio. 

Renan Filho explicou que os turistas que estão em Alagoas continuarão fazendo os passeios normalmente, mas quem chega por navio é um público específico. “Por conta do que ocorreu com o navio em Pernambuco, Alagoas tomou essa medida”.

Filho reforçou que qualquer medida tomada no ambiente marítimo em águas federais precisa ter a participação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. “Mas em Pernambuco foi tomada medida extrema depois que uma pessoa que estava em um navio ter sido identificada com coronavírus e todas as outras entrarem em quarentena”, citou.

Sobre os cruzeiros que estão vindo para Maceió – um chegando hoje e outro dia 23 – Renan disse que está estudando a possibilidade para tomar uma medida assertiva com relação ao que chega dia 23.

“Tem um navio que vai aportar hoje em Maceió, que está vindo de Pernambuco, mas antes o Governo já tinha feito o contato pra saber se tinha alguém com suspeita ou sintomas do vírus. Até o momento que recebeu a resposta, não havia nenhuma suspeita. Mesmo assim, o Governo enviou duas equipes especializadas para examinar. Sobre o outro navio ainda estamos avaliando”, destacou.

Cancelamento de eventos

Sobre o cancelamento dos eventos, Renan disse que não há necessidade, mas sabe que é uma possibilidade que pode ser escolhida de acordo com o avanço do coronavírus.

Com isso, o governador disse que vai ter uma queda na arrecadação no turismo e que o Estado tem se preparado e está montando estratégias para suportar a queda.

Gabinete de crise

Renan Filho ainda reforçou que um gabinete de crise entre o Gabinete Civil, Sesau, Uncisal, Ufal e a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) foi criado. “O governo também tem conversado com a Prefeitura para unir forças”, disse.

Segundo o governador, Alagoas tem leitos de UTI suficientes, pois o Estado disponibilizou 105 novos leitos exclusivamente para pacientes que, porventura, tenham complicações pelo COVID-19. 

“No entanto, é regra que o melhor tratamento é feito pelo isolamento domiciliar e não em internamento hospitalar”, alertou o governador.

Sobre o valor de R$ 20 milhões que será repassado para a Sesau, Renan disse que ainda vai receber um apoio financeiro do Ministério da Saúde.

O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, disse que os profissionais foram capacitados para acompanhar a chegada de novos casos e que “o Estado está tomando medidas preventivas desde que o vírus surgiu na China”.

Ayres garantiu que o estado está preparado, organizado e em conjunto com o Ministério da Saúde e outras secretarias para preparar o ciclo de auxílio a essas pessoas. “Não há motivo para alarde, nem desespero”.

cadaminuto