A saúde pública brasileira está doente faz tempo. Ao longo dos anos os milhões gastos vêm através de emendas parlamentares de custeio. No discurso é uma festa “deputado X manda Y para tal lugar”. 

A boa notícia é que o dinheiro sai voando de Brasília e se perde no meio do caminho. Ninguém nota. Nem o prefeito, nem povo, que só sente falta quando precisa. No “acidente de percurso” as notas voam… é 10% pra lá, 5% pra cá, 5% pra li e investimento real, que seria bom… é um bicho.

É sido assim que o povo brasileiro tem sido tratado pelos governos federal, estudais e municipais. Fazem uma festa com o dinheiro da saúde e são incapazes de deixar algo para, pelo menos, bancar a dor de barriga pós festa. Essa é uma das causas de superlotação no HGE – há décadas.

Covid-19 pode curar o Brasil
Com milhões de brasileiros portadores de HIV, o país também registra 15 mortes diárias por causa de desnutrição e outros 200 são diagnosticados DIARIAMENTE com tuberculose. São números oficiais em meio a uma série de outras carências que levam milhares de brasileiros a postos de saúde e hospitais públicos – geralmente sem o mínimo de estrutura para atendê-los. Do jeito que está a conta não fecha nunca

Será o coronavírus, talvez o mal deste século, que tenha vindo acordar a população para que cobrem de seus gestores o mínimo para não se morrer de fome ou sofrer com patologias advindas da falta de investimentos na saúde pública? 

Torço para um sim DIVINO. Chegamos a um ponto que só com a misericórdia de Deus. O Covid-19 é uma pandemia, mas brevemente estaremos livres dele. Já a política letal dos “nossos políticos”, só haverá cura com o povo nas ruas. 

É como penso.