Azulão começou vencendo com gol de Allano, mas deixou o adversário virar o jogo; eliminado, time alagoano deixa de receber a cota de R$ 650 mil 

O CSA se deu mal, na noite desta quinta-feira (6), em sua estreia pela Copa do Brasil 2020: perdeu para o Vitória, de virada, por 2 a 1, no Estádio Salvador Costa, em Vitória-ES, e deu adeus à competição nacional. Assim como aconteceu em 2019, a história se repetiu e o Azulão foi eliminado na primeira fase, ao perder, naquele ano, para o Mixto-MT, por 1 a 0, fora de casa.

O gol do CSA nesta quinta foi de Allano, na etapa inicial, enquanto Cássio, também no 1º tempo, e Edinho, no segundo, marcaram para os donos da casa. Vale lembrar que, por ter sido o time visitante, o Azulão jogava pelo empate, mas não conseguiu e, por ter sido eliminado, deixou de receber a cota de R$ 650 mil. 

Na segunda fase, o Vitória-ES vai enfrentar o Figueirense, que venceu o Novorizontino, em jogo também nessa quinta-feira (6), por 2 a 1.

COMO FOI

O primeiro lance de perigo do jogo foi do CSA, com menos de um minuto de bola rolando. Após cruzamento da direita para Rodrigo Pimpão, ele escorou de cabeça, mas o goleiro Harrison fez uma boa defesa, mandando para escanteio.

O Vitória respondeu aos 8 minutos. Edinho cobrou uma falta no meio da área, Lucas Barboza subiu de cabeça, escorou, mas mandou a redonda para fora.

Não demorou para a resposta do Azulão: aos 9 minutos, Allano recebeu o passe na entrada da área e chutou no canto, mas Harrison saltou e defendeu. Na sequência, Diego Maurício foi flagrado em impedimento.

O CSA chegou mais uma vez aos 16 minutos. Após cruzamento de Renatinho, a zaga do Vitória cortou mal e a bola sobrou para Diego Maurício, que chutou rasteiro para mais uma boa defesa de Harrison. O Azulão ia rápido ao ataque e, em mais um deles, abriu o placar. Aos 21 minutos, Rafinha cruzou, Renatinho chutou, a bola foi na zaga do Vitória e sobrou para Allano, que tocou de primeira no gol: 1 a 0.

Melhor em campo, aos 25 minutos, o CSA chegou de novo. Allano recebeu passe de Diego Maurício e chutou forte, para o goleiro do Vitória fazer a defesa. Aos 29 minutos, a chance foi do Vitória. Toni Galego chutou, a bola bateu na zaga e sobrou para Jeferson, que invadiu a área e bateu cruzado, para a ótima defesa de Caíque, que salvou o CSA.

Depois que levou o gol, o Vitória saiu mais para o jogo, enquanto o CSA se fechou e saía no contra-ataque. E, aos 39 minutos, Rodrigo César achou Baiano dentro da área, que avançou e chutou forte, vendo a bola carimbar a trave e ir pela linha de fundo. Mas aos 42 minutos, veio o gol do Vitória: Edinho cobrou o escanteio, Ferrugem escorou no primeiro pau e Cássio tocou de cabeça para empatar o jogo: 1 a 1.

O 1º tempo foi até os 47 minutos com os acréscimos determinados pelo árbitro gaúcho Douglas Schwengber da Silva.

Na etapa final, a virada do Vitória veio logo aos 4 minutos. Baiano ajeitou para Edinho, que soltou a bomba de fora da área e a bola foi no cantinho, sem chance para Caíque: 2 a 1.

O time da casa tentou mais uma vez: aos 11 minutos, Cássio recebeu passe na direita, entrou na área, mas bateu cruzado e a bola foi para fora.

O jogo era um festival de cartões amarelos para os dois lados. E teve também um vermelho: para Cássio, que cometeu falta violenta em Rodrigo Pimpão, aos 28 minutos, e foi para o chuveiro mais cedo.

Aos 32 minutos, os donos da casa tentaram. Toni Galego tocou a bola para Edinho, que dominou e chuta da entrada da área, para Caíque fazer grande defesa. A partida passava dos 40 minutos e o Vitória se fechou todinho, com quatro zagueiros em campo. 

O árbitro determinou seis minutos de acréscimos e, aos 46 minutos, o Azulão do Mutange ainda tentou seu último suspiro. Após cruzamento de Rafinha, que encontrou Rodrigo Pimpão no segundo pau, o atacante cabeceou e Harrison defendeu.

O duelo foi até os 51 minutos, quando o árbitro, pontualmente, encerrou a partida, decretando a derrota e a eliminação do CSA da Copa do Brasil 2020.

Vitória-ES – Harrison; Ferrugem, Lucas Barboza, Léo Breno e Cássio; Igor Pimentel, Rodrigo César, Jeferson e Edinho (Thainler); Jarles Baiano (Chiquinho) e Tony Galego (Ewerton). Técnico: Rodrigo Fonseca. 

CSA – Caíque; Norberto, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; Yago (Bruno José), Jean Cléber, Renatinho (Jarro Pedroso) e Allano (Rafael Bilu); Diego Maurício e Rodrigo Pimpão. Técnico: Maurício Barbieri.

Árbitro – Douglas Schwengber da Silva (RS).

Assistentes – José Eduardo Calza (RS) e Maíra Mastella Moreira (RS).

Gazetaweb