Mesmo com atraso gostaria de me dirigir aos meus seguidores para apenas dizer o convencional: Boas Festas e Feliz Ano Novo.

Entretanto queria mesmo ser diferente, ser objetivo e muito sincero. Daí fiquei a matutar como poderia usar com objetividade a sinceridade pretendida e em poucas palavras numa mensagem que fosse conveniente ao final de ano.

A idade, apesar de seus contratempos, traz consigo também virtudes incomensuráveis. Entre essas virtudes estão a experiência adquirida ao longo da vida e o aumento do sentimentalismo. Mas não poderíamos deixar de mencionar a qualidade de ser sincero sem os medos de ferir aos que não estão habituados com a verdade nua e crua.

Tendo alcançado os meus 70 anos e posso me dar ao deleite de ser, pelo menos, um pouco verdadeiro e dizer que vejo o quão idiotas são os que cultuam a arrogância, o egoísmo e a ambição. Como se enlameiam aqueles que só visam o poder, simplesmente pelo poder. Como são infames os que não têm coragem para enfrentar a verdade e usam dos mais sórdidos artifícios para se manter num patamar meramente ilusório, curtindo ser cultuado por outros tantos falsos que só os aplaudem para aproveitar as migalhas que lhes sobram.

E no final de um ano marcado por tanta falsidade em promessas, por tantas vidas ceifadas por mesquinharias e por tantos recursos desviados de finalidades nobres que deveriam ser destinados para dar alento à tantos sofridos conterrâneos, quero externar o meu apelo veemente ao nosso povo para que sejam mais sensatos e mudem com relação a seus semelhantes. Mudem antes de tudo lembrando que a verdade, que muitas vezes queremos esconder, um dia, cedo ou tarde, será revelada. Mudem, lembrando que o que aqui se planta, aqui se colhe! Mudem ao menos para o benefício próprio.

Hoje, com a experiência que a vida me proporcionou e a visão obtida pelo sentimentalismo inerente à idade, posso afirmar que os ventos semeados podem ser colhidos em forma de tempestades. Mas também constato que ao plantar a paz e o amor com sinceridade, em meio aos amigos que estão próximos pelo convívio no cotidiano ou no seio familiar, como mulher e filhos, biológicos ou agregados, e onde esta planta for germinada, só se colhe um ambiente tranquilo e harmonioso.

Que no ANO NOVO a paz, o amor e a verdade germinem em vocês, e cresçam como uma planta viçosa para dar excelentes frutos no futuro.

Paulo Placido Alencar