Inspeções do Ministério do Trabalho realizadas ao longo de 2018 conseguiram recuperar R$ 98,4 milhões para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em Alagoas, por meio de ações de fiscalização em empresas que deixaram de depositar os valores devidos nas contas vinculadas dos seus trabalhadores. 

Segundo o levantamento, divulgado nesta terça-feira (15), pelo Ministério do Trabalho, trata-se do segundo maior valor valor recuperado na região Nordeste, atrás apenas da Bahia, cujas inspeções recuperaram R$ 172,1 milhões.

Em todo o País, o Ministério do Trabalho recuperou R$ 5,23 bilhões para o FGTS, volume 23,6% maior do que o registrado em 2017, quando foram recuperados R$ 4,23 bilhões

Segundo os dados do ministério, as maiores arrecadações recuperadas em 2018 ocorreram nos estados de São Paulo (R$ 961 milhões), Rio de Janeiro (R$ 460 milhões), Rio Grande do Sul (R$ 326 milhões) e Minas Gerais (R$ 269 milhões).

“Desde a instituição da fiscalização eletrônica, em 2014, a Inspeção do Trabalho tem impulsionado seus resultados. A capacitação dos auditores para utilização de sistemas informatizados e para a padronização das ações agilizou os processos de fiscalização”, informou o órgão, em nota.

Segundo o governo federal, o cruzamento das bases de dados governamentais com a de depósitos efetuados nas contas vinculadas facilitou a identificação das empresas com irregularidades nos recolhimentos de FGTS. “Somente o grupo de trabalho específico para fiscalização de grandes devedores do FGTS foi responsável pela recuperação de R$ 1,6 bilhão no exercício de 2018”, ressaltou.

Volume recuperado nos estados do Nordeste:

BA – R$ 172.162.722,26

AL – R$ 98.479.981,19

PE – R$ 82.025.249,24

MA – R$ 64.566.539,37

CE – R$ 64.484.640,91

PB – R$ 42.634.283,74

SE – R$ 41.204.207,95

PI – R$ 29.640.815,69

RN – R$ 29.507.713,86

Fonte: Ministério do Trabalho