Dieta com restrição calórica retarda o envelhecimento, diz estudo

Pesquisa realizada na Universidade Columbia aponta que cortar 25% das calorias da dieta consegue adiar o ritmo de envelhecimento do corpo.

Adultos saudáveis que seguem uma dieta com restrição de calorias podem retardar o ritmo do próprio envelhecimento, segundo mostra um estudo feito por pesquisadores da Universidade Columbia, nos Estados Unidos. Os resultados foram publicados na quinta-feira (9/2), na revista Nature Aging.

A restrição de calorias é uma intervenção comprovada para retardar o envelhecimento de animais. No novo estudo, os pesquisadores investigaram pela primeira vez os efeitos da estratégia a longo prazo em humanos saudáveis e não obesos.

“Em vermes, moscas e camundongos, a restrição calórica pode retardar os processos biológicos de envelhecimento e prolongar a expectativa de vida saudável. Nosso estudo teve como objetivo testar se a restrição calórica também retarda o envelhecimento biológico em humanos”, diz o autor sênior Daniel Belsky, professor associado de epidemiologia na Columbia Mailman School.

Estudo com humanos

O estudo CALERIE ocorreu em três centros de pesquisa dos EUA, com a participação de 220 homens e mulheres não obesos – com índice de massa corporal menor que 27 – e com idades entre 21 e 50 anos. Eles foram submetidos a uma dieta com restrição de 25% da ingestão calórica ou uma dieta normal ao longo de dois anos.

O envelhecimento biológico foi medido a partir de amostras de sangue coletadas dos participantes no início do estudo e após 12 e 24 meses desde o início da dieta restritiva.

As amostras serviram para que os pesquisadores analisassem a metilação do DNA, que corresponde a alterações na fita genética que regulam a expressão dos genes. Os pesquisadores se concentraram em três medições de metilação do DNA, conhecidos como “relógios epigenéticos”.

Os marcadores PhenoAge e GrimAge estimam a idade biológica, com uma medida estática de quanto envelhecimento uma pessoa experimentou, e o DunedinPACE, que aponta o ritmo do envelhecimento ou a taxa de deterioração biológica ao longo do tempo.

Foram encontradas evidências de que a restrição calórica diminuiu o ritmo do envelhecimento nos voluntários. O efeito da intervenção representou uma redução de 2% a 3% no ritmo do envelhecimento.

Agora os pesquisadores querem entender os efeitos da dieta a longo prazo, se eles poderiam se traduzir em redução de doenças crônicas relacionadas ao envelhecimento ou seus fatores de risco.

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *