Partidos correm para definir disputa proporcional em Alagoas

Eleições-2016

A minirreforma eleitoral, que definiu as regras das próximas eleições, ainda não foi estudada pela maioria dos presidentes de diretórios municipais de Maceió. Mas há quem já se articule dentro da nova realidade. Até porque com as imposições de tempo de televisão, de campanha no rádio e TV e período de propaganda externa vai torná-la um desafio para os novos candidatos a vereador.
Seja pelo custo, que se baseia em 70% do valor mais elevado no último pleito – na prática R$ 164.793,45 –, em Maceió, conforme determina a Lei 13.165/15, ou pelo desafio de fazer uma campanha sem doações de empresas, as próximas eleições ocorrem num contexto de crise política e econômica do País.
Sem falar no desgaste que parte da população passou a atribuir aos políticos diante das revelações bombásticas da Operação Lava Jato.
Ainda assim, o processo segue o seu curso normal. De momento, só está liberada a propaganda das pré-candidaturas em redes sociais e os contatos informais com as bases e a imprensa em geral.
CALENDÁRIO
Oficialmente, só a partir de 5 de julho é que ocorre a campanha intrapartidária que irá definir as pré-candidaturas, que serão oficializadas nas convenções a partir de 20 de julho.
De acordo com o presidente do diretório municipal do PRTB, Adeílson Bezerra, o fato de a campanha em televisão ter mudado as regras será uma dificuldade para os novos candidatos.
“Isto porque serão apenas 35 dias e eles não aparecerão mais em bloco, pela manhã e à noite, como era antigamente, mas sim nos intervalos comerciais. Creio que o que vai prevalecer nestes casos é o fato de terem base e o porta a porta”, disse Bezerra.
Por conta dessa característica, ele avalia que o pleito na capital deve apresentar um alto índice de reeleição.

fonte:gazetaweb

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *