Pelo menos 1.300 veículos apreendidos viram sucata em Arapiraca

01Pouco mais de 1.300 carros e motocicletas. Esta é a quantidade de veículos apreendidos nos últimos cinco anos em operações policiais realizadas em Arapiraca, e outras próximas e que ocupam espaços do 3º Batalhão de Polícia Militar e da Central de Polícia Civil da cidade.

A frota de carros e motos mais parece de sucatas e amontoa-se em locais antes usados como estacionamentos, por exemplo. A situação é mais crítica no 3º BPM, conforme constatou a reportagem do Diário Arapiraca na última semana. No quartel da Polícia Militar, pelo menos 1.030 veículos são consumidos pela exposição ao tempo e suas intempéries.

O subcomandante do 3º BPM, capitão Rivaldo Farias, afirmou que o pátio do Batalhão tem, pelo menos, 230 motocicletas e 800 carros. Como a unidade atende 15 cidades do Agreste alagoano, em alguns grupamentos em cidades próximas também tem veículos apreendidos, como é o caso de Girau do Ponciano, com algumas motocicletas.

“Os nossos grupamentos não têm espaços. Quando ocorrem apreensões, um guincho vai até lá e traz para cá. Não vejo a hora disso ser resolvido. Fica esse foco de mosquitos. Às vezes o pessoal [da Secretaria Municipal de Saúde] vem e aplica venenos e outros produtos. Isso já dura um bom tempo e virou uma ‘bola de neve’. O espaço aqui já acabou há muito tempo”, ponderou.

O problema poderá ser agravado já no próximo mês, segundo o subcomandante. Isso porque, entre fevereiro e março, novos policiais da reserva técnica chegarão ao 3º BPM para início do treinamento. Por conta disso, o pátio externo deverá ter espaço liberado para as atividades desses novos militares.

Na Central de Polícia de Arapiraca, a situação é parecida. Centenas de carros e motocicletas aglomeram-se num espaço pequeno, ao menos 300 deles. Os policiais civis ouvidos pela reportagem do Diário Arapiraca afirmaram que ainda não ouve confirmação oficial para o início da operação.

No entanto, a notícia da retirada dos veículos foi bem recebida pelos policiais civis que atuam na Central de Polícia. “Esperamos que aconteça logo, porque não podemos continuar recebendo mais veículos aqui. O terreno tornou-se pequeno e esse problema deve ser resolvido”, ponderou um deles, que não quis ser identificado.

Falta pouco
A solução para a situação passa por vários setores, mas já tem previsão para começar: início de fevereiro. O passo inicial foi dado no Departamento de Trânsito, passa pelos Serviços de Engenharia do Estado de Alagoas S/A. Os engenheiros da Serveal darão aval para início da transferência para o novo local.

O espaço já foi encontrado para abrigar esses veículos. A informação foi confirmada pelo superintendente operacional do Detran, José Williams da Silva. O Governo do Estado já alugou um galpão nas proximidades do Distrito Industrial de Arapiraca, entre as rodovias AL-115 com a rodovia AL-485.

O superintendente operacional afirmou que a dificuldade maior foi encontrar um local adequado e com espaço para receber a frota de veículos, quase transformada em sucata. “No mais tardar início de fevereiro começaremos. Já estivemos no 3º BPM nesta semana e, juntos com o comando, montamos a estratégia de retirada”, revelou José Williams.

A burocracia estadual contribuiu para a demora no início da operação. O superintendente operacional do Detran afirmou que o departamento possui contrato com um guincho, mas com atuação apenas para a Região Metropolitana de Maceió. “Realizar a operação em Arapiraca seria dispendioso para o Estado. Já fizemos um contrato emergencial, com base numa ação civil que orientou para o início imediato da transferência”, disse.

Duas soluções
Para resolver, em definitivo o problema existem duas soluções apontadas pelo Detran. Uma delas será a construção de um galpão definitivo, o que já se encontra em avaliação pelos técnicos da Serveal e aguardando a liberação de orçamento por parte do Estado.

A outra solução cabível para reduzir a quantidade de veículos é a realização de um leilão. “Até junho faremos um. É uma decisão já confirmada, só falta a confirmação da data”, revelou.

Os veículos que irão para leilão será aqueles apreendidos em operações de Lei Seca, que têm infrações como atrasos no pagamento de impostos e apreendidos em abordagens policiais. “Só não poderemos leiloar os veículos que integram inquéritos. Temos que respeitar a legislação”, finalizou José Williams.

O objetivo de Detran é retirar todos os veículos que ocupam pátios da Polícia Civil e batalhões da capital e do interior. A ação de retirada dos veículos começou no 2º Batalhão de Polícia Militar, localizado em União dos Palmares.

Segundo o diretor-presidente do Detran/AL, Antônio Carlos Gouveia, a partir do dia 20 de fevereiro todos os veículos que estão espalhados em Alagoas serão retirados para pátios locados pelo departamento de trânsito. Com isso, as polícias Civil e Militar poderão continuar e intensificando as operações em todo o estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *