Ex-comandante da PM morre em acidente na BR 424.

rochaApós o final de semana marcado por acidentes automobilísticos, mais uma fatalidade foi registrada nesta segunda-feira, 18, na rodovia BR 424, em Marechal Deodoro. O coronel Nilton Rocha, ex-comandante da Polícia Militar de Alagoas, morreu em uma colisão envolvendo o veículo que conduzia (Golf de placa ORB-2020) e uma Kombi (placa NLY-1272 de Marechal Deodoro) que seguia pela rodovia com nove ocupantes. Ao todo, 11 pessoas ficaram feridas.

As primeiras informações dão conta que o coronel seguia no sentido Marechal Deodoro, perdeu o controle do veículo, capotou várias vezes e colidiu com a Kombi, que vinha no sentido contrário. Com o impacto, o militar teve morte instantânea.

Segundo o tenente Ferreira, do Corpo de Bombeiros, os ocupantes do outro veículo ficaram feridos, sobretudo, o condutor, que ficou preso às ferragens e precisou ser socorrido pelo resgate aéreo (Arcanjo).

Em entrevista ao Alagoas24Horas, Ferreira disse que quando sua equipe chegou ao local um ocupante do Golf, de identidade não informada, havia sido socorrido pela primeira viatura do Corpo de Bombeiros que chegou. Em nota divulgada no final da tarde, a Polícia Militar informou que, além da vítima fatal, havia outras duas pessoas no Golf. Uma delas é Cintia, Raniere Correia de Almeida, de 19 anos.

Durante o registro realizado por esta equipe de reportagem, os nove ocupantes da kombi estavam sendo atendidos no canteiro da rodovia, por equipes do Samu e Corpo de Bombeiros.

Inicialmente os dois sentidos da rodovia estavam bloqueados em função da disposição dos veículos e do atendimento às vítimas, mas com a chegada das equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Batalhão Rodoviário (BPRv), o tráfego foi organizado no sistema pare/siga. Mesmo assim o trânsito ficou lento e filas de carros se formaram nos dois sentidos da rodovia.

A cena no local é de choque. Tanto por parte de familiares das vítimas, sobretudo do coronel Rocha, quanto por parte de curiosos. Um rapaz, possivelmente filho da vítima fatal, abraçou o corpo do militar ao chão, em um ato de desespero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *