Protesto na Barra Nova

bbbg

Moradores do povoado da Barra Nova, na Ilha de Sta. Rita em Marechal Deodoro, mais uma vez fecham a Rodovia Ib Gatto, AL-101-SUL. Segundo os manifestantes que desde as primeiras horas desta quarta-feira (25) interditaram a rodovia com pneus e pedaços de madeira no acesso à comunidade, o ato foi como forma de protesto contra uma suposta diminuição de ônibus promovida pela empresa Real Alagoas.

Os moradores também cobram providencias em relação ao aumento recente no preço da tarifa do transporte coletivo na região. Por outro lado, o transporte alternativo, que poderia suprir a deficiência, vem atendendo pessimamente ao usuário, superlotando os veículos, não se preocupando com a segurança pela falta do cinto de segurança, direção inadequada e não cumprimento dos horários, segundo reclamações de usuários.

Houve momentos de tensão no local, mas o Batalhão de Policiais Especiais (BOPE) esteve no loca l e negociou com os manifestantes que vieram desbloquear a rodovia.

Os líderes do movimento, afirmaram que o número de veículos teria sido reduzido de dez para apenas três e o valor da passagem subiu de R$ 3 para R$ 3,50 que ficou acima do estipulado para ARSAL. Além desses problemas o transporte complementar, alternativa para suprir a deficiência, não aceita o Cartão Bem Legal e só recebe a quantia em espécie. A Rodovia vem sendo constantemente interditada sob várias alegações e reivindicações – cobrança das casas do Residencial Recanto da Ilha (jun/2015), falta d’água (dez./2013), falta de energia, a não remoção de um tronco de árvore (fev./2015), acidentes na pista, entre inúmeros outros. O maior problema desses protestos é que atingem em quem nada tem a ver com o problema. No caso de hoje, onde o foco do problema seria a diminuição e preço das passagens dos ônibus da Real Alagoas, não seria mais justo se esses veículos da empresa fossem impedidos de circular? Quem causou o problema iria sentir onde mais doe nas pessoas – no bolso e certamente buscariam uma solução.

Líderes comunitários já teriam ameaçado realizar o protesto anteriormente, caso não fossem atendidas as suas reivindicações.

 

Crédito: WebRádio Juventude

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *