segunda-feira, 22 de julho de 2019
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Causa do apagão na Argentina e no Uruguai começou no noroeste argentino, diz empresa

 
Apagão deixa milhões sem energia na Argentina e no Uruguai

apagão que afetou milhões de pessoas na Argentina e no Uruguaineste domingo (16) foi provocado por uma falha na conexão de transporte entre duas das centrais do sistema interligado, que ficam no Litoral argentino, como é conhecida a região noroeste do país. A informação foi divulgada pela Edesur Argentina, uma das empresas responsáveis pela distribuição da eletricidade no país.z”A falha na rede que originou o apagão em nível nacional se originou em uma conexão de transporte de eletricidade entre as centrais de Yaciretá e de Salto Grande, no litoral argentino. Isso ativou as proteções das centrais geradoras, que saíram de funcionamento e produziram o apagão.”, afirmou a Edesur Argentina.

Juntas, as populações de Argentina e Uruguai somam cerca de 48 milhões de pessoas. Até as 16h30, as quatro empresas que distribuem a energia nos dois países vizinhos disseram que praticamente todo o serviço já havia sido normalizado.

 

Mulher em sua casa durante apagão no Uruguai na manhã deste domingo, 16 — Foto: Miguel Rojo/AFP

Mulher em sua casa durante apagão no Uruguai na manhã deste domingo, 16 — Foto: Miguel Rojo/AFP

O que é o sistema interligado?

Conhecido pela sigla Sadi, o Sistema Argentino de Interconexão Elétrica é a rede de distribuição de energia do país. Ela também tem interligações com o Uruguai, por isso o apagão afetou ambos os países.

Na tarde deste domingo (16), a Edesur divulgou um mapa mostrando as conexões do Sadi, e disse que o problema teve início no transporte da conexão entre dois dos pontos na região noroeste do mapa, que fica próxima das fronteiras da Argentina com o Uruguai, o Paraguai e o Brasil.

 

Mapa divulgado pela Edesur Argentina mostra o Sistema Argentino de Interconexão Elétrica (Sadi, na sigla em castelhano) — Foto: Divulgação/EdesurMapa divulgado pela Edesur Argentina mostra o Sistema Argentino de Interconexão Elétrica (Sadi, na sigla em castelhano) — Foto: Divulgação/Edesur

Mapa divulgado pela Edesur Argentina mostra o Sistema Argentino de Interconexão Elétrica (Sadi, na sigla em castelhano) — Foto: Divulgação/Edesur

Como é feita a distribuição?

O sistema não é usado por apenas uma empresa. No total, três distribuidoras atuam na Argentina: a Edesur, a Edenor e a Edelap.

Por meio de uma rede social, as três empresas atualizaram os usuários durante todo o domingo sobre o restabelecimento do sistema. A Edesur informou por volta de 16h que 95% do serviço havia sido restabelecido, assim como a Edenor. A Edelap disse por volta de 15h30 que já tinha restabelecido o serviço para 100% de seus clientes.

Já no Uruguai, quem responde pelo serviço é a empresa estatal Administração Nacional de Usinas e Transmissões Elétricas (UTE). Ela afirmou que a falha afetou boa parte do país, sobretudo as cidades do litoral do Rio da Prata, que inclui a capital Montevidéu, e disse que, às 13h40, 88% dos serviços já eram considerados normalizados.

Gonzalo Casaravilla, presidente da UTE, e Guillermo Moncecchi, ministro de Indústria, Energia e Minas do Uruguai, explicam o apagão que afetou Argentina e Uruguai neste domingo (16) — Foto: Divulgação/UTE

Gonzalo Casaravilla, presidente da UTE, e Guillermo Moncecchi, ministro de Indústria, Energia e Minas do Uruguai, explicam o apagão que afetou Argentina e Uruguai neste domingo (16) — Foto: Divulgação/UTE

O que dizem as autoridades?

A UTE explicou, em um comunicado, que o problema na Argentina afetou o Uruguai porque “o sistema interconectado necessita de um mecanismo de proteções que atuam quando se produzem desequilíbrios na rede”, e que o sistema “avalia segundo a segundo a relação entre geração e demanda de energia”.

Ainda de acordo com o comunicado, “quando a demanda cai, a geração automaticamente cai na mesma magnitude. Ao se produzir uma queda massiva na Argentina, as proteções atuaram automaticamente no sistema uruguaio, assim como nos demais países interconectados, o que fez com que se interrompesse a geração que abastece a totalidade da demanda” no Uruguai.

A Edelap afirmou que o restabelecimento do serviço dependia da autorização da Companhia Administradora do Mercado Mayorista Elétrico (Cammesa) da Argentina.

Em seu site, a Cammesa mantém gráficos em tempo real da demanda por energia elétrica, que indicam como ocorreu a queda súbita da demanda por volta das 7h deste domingo:

 

Gráfico da Cammesa mostram a queda repentina da demanda por energia elétrica no Sistema Argentino de Interconexão Elétrica (Sadi) — Foto: Reprodução/CammesaGráfico da Cammesa mostram a queda repentina da demanda por energia elétrica no Sistema Argentino de Interconexão Elétrica (Sadi) — Foto: Reprodução/Cammesa

Gráfico da Cammesa mostram a queda repentina da demanda por energia elétrica no Sistema Argentino de Interconexão Elétrica (Sadi) — Foto: Reprodução/Cammesa

Pela manhã, a Edesur chegou a afirmar que Paraguai e Brasil também foram afetados pelo apagão. Porém, questionado pelo G1, o Operador Nacional do Sistema (ONS) informou que monitora a situação e que, até as 11h, não havia registrado qualquer impacto do apagão no fornecimento de energia no Brasil, inclusive na região sul.

Segundo a agência de notícias EFE, a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e a empresa Rio Grande Energia, que compartilham os serviços de distribuição de energia em toda a Região Sul do Brasil, também informaram que o apagão nos países vizinhos “não teve reflexos” no território brasileiro.

 

Por G1

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

GCM prende homem que exibia arma de fogo em bares de Teotônio Vilela

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Teotônio Vilela, prendeu um homem nesta quinta-feira, dia 18, …