sexta-feira, 24 de maio de 2019
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Vídeo mostra a entrada dos assassinos em escola de Suzano

Dez pessoas morreram nos ataques. Segundo a polícia, o assassino mais novo matou o mais velho e depois se suicidou 

magens das câmeras de segurança da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, São Paulo, mostram o momento em que Guilherme Taucci Monteiro entra e atira em quem estava logo após a porta de entrada. O vídeo, divulgado na noite desta quarta-feira (13), também mostra o momento em que Luiz Henrique de Castro entra, carregando uma mochila e uma besta. 

Em respeito às vítimas, o conteúdo completo do vídeo não será exibido. Pelas imagens, é possível acompanhar o momento em que Guilherme Monteiro entra na escola, deixa um caderno, saca a arma que está na cintura e aponta para as vítimas. Depois, o segundo assassino, Luiz Henrique de Castro, entra e ataca as pessoas já caídas.

Dez pessoas morreram nos ataques:

1. Caio Oliveira, 15 anos, estudante.

2.Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante.

3.Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante

4.Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante.

5.Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, estudante.

6.Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, funcionária.

7.Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos, coordenadora pedagógica.

8.Guilherme Taucci Monteiro – 17 anos, assassino.

9.Luiz Henrique de Castro – 25 anos, assassino.

10.Jorge Antonio de Moraes, 51 anos, tio de Guilherme.

Um assassino matou o outro, diz polícia

Um dos assassinos matou o comparsa e depois se matou, segundo informações da polícia. A investigação aponta que Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, matou Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e depois se suicidou.

Segundo a polícia, os dois tinham um pacto de que fariam o ataque e depois se matariam. E que andavam pesquisando na internet massacres em escolas dos Estados Unidos.

Os dois assassinos eram ex-alunos da Escola Estadual Raul Brasil, alvo do ataque, disse o secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos. De acordo com ele, os cinco alunos assassinados tinham entre 15 e 17 anos de idade. Também foram mortos duas funcionárias do colégio e o proprietário de uma loja próximo ao local.

Segundo o secretário, ainda não se sabe a motivação do crime. “É a grande busca: qual foi a motivação dos antigos alunos”, disse Foram feitas buscas na casa dos assassinos, e a polícia recolheu pertences dos dois.

Monteiro deixou a escola no ano passado após “problemas” – o secretário não foi claro se ele foi expulso ou se saiu por conta própria.

 

 

G1 
 

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Repórter da Record é acusado de assediar colegas de redação

Um dos repórteres mais experientes da Record, Gérson de Souza está sendo acusado de assediar …