sábado, 16 de fevereiro de 2019
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Ouça: Renan Calheiros retira sua candidatura à Presidência do Senado

Renan Calheiros (MDB-AL) anunciou em discurso no plenário do Senado na tarde deste sábado (2) que retirou sua candidatura à presidência do Senado. O plenário do Senado vaiou quando Renan disse que o processo não era democrático e retirou a candidatura.

Segundo parlamentares, Renan retirou sua candidatura ao perceber que não teria votos suficientes para vencer neste sábado. O estopim foi a decisão da bancada do PSDB de mostrar a cédula de votação na segunda votação. Renan alimentava a esperança de ter votos nessa bancada.

Logo após desistir de sua candidatura à presidência do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL) negou que vá judicializar a eleição e deixou em aberto qual será sua relação com o governo Jair Bolsonaro, depois que um de seus filhos, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) decidiu declarar voto em Davi Alcolumbre (DEM-AP), apoiado pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Renan fez críticas a Davi e insinuou que ele se volte contra o STF (Supremo Tribunal Federal). “Eu retiro a postulação porque entendo que o Davi não é o Davi, é o Golias. Davi sou eu. Ele é o Golias, atropela o Congresso. O próximo passo é o Supremo Tribunal Federal sem o cabo e sem o sargento”, afirmou Renan em entrevista, fazendo alusão a uma declaração de outro filho do presidente da República, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Renan criticou também o fato de Flávio Bolsonaro ter anunciado que votaria em Davi. Segundo o senador do MDB, Flávio foi pressionado a fazer isso. “Estou saindo porque o voto foi declarado na forma do regimento como secreto. Eles abriram o voto. Na primeira votação, houve um equívoco, um voto a mais e, por conta disso, eles abriram o voto do PSDB para inibir quatro possibilidades de votos que tínhamos. Qual a lisura? E no final o filho do presidente fez questão de abrir o voto”, afirmou.

Questionado se diante da operação favorável a um candidato apoiado pelo governo criaria alguma dificuldade para o Palácio do Planalto, Renan Calheiros foi evasivo. “Não estou analisando o governo, os desdobramentos. Estou analisando o que está acontecendo contra o Senado Federal, contra a Constituição e, agora, contra o Supremo Tribunal Federal.”

Indagado se havia renunciado por sentir que poderia perder, ele negou.

Após declarar que deixaria de concorrer à presidência, Renan Calheiros deixou o plenário e conversou com os jornalistas.

Acompanhe o áudio da entrevista:

 

Folhapress

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Uber recusa chamadas para o Pinheiro. Cadê os poderes constituídos?

Será que a multinacional americana, prestadora de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*