segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Todos os assaltantes de bancos mortos no confronto com a polícia alagoana eram foragidos ou respondiam por crime

A questão não é defender que bandido bom é bandido morto. Mas a sociedade não pode dar as costas para os policiais envolvidos na operação que culminou com 11 criminosos mortos, durante uma intensa troca de tiros, num esconderijo, na zona rural de Santana do Ipanema.

Para início de conversa a polícia só conseguiu o êxito porque conta com uma equipe preparada, fortemente armada e estimulada. Foi-se o tempo de correr com medo dos bandidos. Este é o lado bom da história em curso.

O lado negro é que os assaltos a instituições financeiras é uma preocupação em todo o país. Não duvide do risco de revide dos criminosos, porque não é todo dia que 11 embarcam com passagem só de ida para o quinto dos infernos.

Os policiais alagoanos não precisam ser homenageados, necessitam – todos eles – do reconhecimento do dever cumprido, porque enfrentar um bando organizado, fortemente armado e disposto a tudo não é para qualquer um.

Se alguém tem dúvida da periculosidade dos criminosos, basta acompanhar a ficha-corrida deles, como segue abaixo.

Manoel Bezerra de Almeida, vulgo ‘Matuto’

  • Líder interestadual da organização criminosa;
  • Cumpria pena no Presídio de Paulo Afonso/BA, tendo saído recentemente;
  • Várias prisões por roubo a banco nos estados do Pará, Ceará e Rio Grande do Norte.

Evandro de Paula Lima Silva, vulgo ‘Saulo explosivista’

  • Principal explosivista da organização criminosa interestadual e um dos mais procurados no Nordeste;
  • Participou de roubos em praticamente toda a região Norte/Nordeste;
  • Várias prisões por roubo a banco no estados da Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte;
  • Foragido de um presídio potiguar desde 2012;
  • Em sua última prisão, houve troca de tiros com a PM na cidade Catolé do Rocha/PB;
  • Envolvimento em explosões de bancos e carros-forte na Paraíba e Rio Grande do Norte.

Cristiano Rômulo de Souza Rodrigues, vulgo ‘Rominho’

  • Preso em 2017 por integrar quadrilha de roubo a banco e a carro-forte em operação conjunta da CIPE caatinga PM/BA e GATI do 5º BPM/Petrolina;
  • Mandado de prisão em aberto em PE, onde era foragido por romper a tornozeleira eletrônica.

José Lutemberg Nogueira Santos, vulgo ‘Lutinho’ ou ‘Doutor’

  • Líder e principal articulador do núcleo alagoano;
  • Mandado de prisão em aberto pela participação no roubo ao Banco do Brasil, em 17 de setembro de 2018, em Igreja Nova/AL;
  • Responsável pelo apoio aos grupos oriundos de outros estados, providenciando a logística de carros, armas e pontos de apoio (esconderijos).

Carlos Alberto de Lima, vulgo ‘Coquinho’

  • Explosivista do núcleo alagoano;
  • Mandado de prisão em aberto pela participação no roubo ao Banco do Brasil, em 17 de setembro de 2018, em Igreja Nova/AL;
  • Em sua residência, na zona rural de Craíbas, foram apreendidos 25 kg de explosivos, arma e munições no início de outubro deste ano;
  • Desde 2015, atuando na função de explosivista, com participação direta em, pelo menos, 30 ataques a instituições financeiras do estado.

Adeildo de Souza Timóteo, vulgo ‘Del’

  • Cumpriu pena no sistema prisional alagoano por roubo a banco, tendo sido preso pela SERB/DEIC em abril de 2017;
  • Desde 2015, atuando junto com Coquinho e Doutor na grande maioria dos ataques a instituições financeiras em Alagoas.

Adjane da Silva, vulgo ‘Jânio’

  • Responsável pela logística de fuga, sendo amplo conhecedor das rotas no Sertão, que interligam AL e demais estados nordestinos;
  • Preso em junho de 2016 por porte ilegal de arma de fogo;
  • Participou, dando apoio logístico, a vários ataques a instituições financeiras no Sertão de AL e PE.

André Luiz de Morais Lima

  • Explosivista em ataques a bancos e carros-forte em todo o Nordeste;
  • Preso em setembro de 2016, pelo GATI e Patrulha Rural/PMPE, por roubo a banco;
  • Procurado pelas forças policiais de vários estados do NE.

Adriano Souza Silva Júnior, vulgo ‘Júnior Preto’

  • Respondia a processo em SE por envolvimento em roubo a banco;
  • Mandado de prisão em aberto pela participação no roubo ao Banco do Brasil, em 17 de setembro de 2018, em Igreja Nova/AL;
  • Responsável pelo transporte das armas entre os estados.

Josivan dos Santos, vulgo ‘Vanvan de Petrolina’

  • Responsável pelo fornecimento de explosivos, espoletas e cordel detonante para vários grupos de assalto a banco no Norte/Nordeste;
  • Era responsável por fazer a contenção e atirar contra as bases policiais nas cidades atacadas;
  • Era procurado por várias forças policiais por envolvimento em ataques a instituições financeiras em Alagoas, Pernambuco e Bahia.

Bruno Emanuel Batista Araújo, vulgo ‘Bruno de Angelim’

  • Preso no Piauí por fornecer armas para quadrilhas de roubo a banco em todo o Nordeste;
  • Ameaçou dois capitães da PM no Piauí;
  • Considerado um dos mais violentos do grupo; 
  • Era responsável por fazer a contenção e atirar contra as bases policiais nas cidades atacadas.

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Deputado tem conta hackeada e é mais uma vítima de crime eletrônico

O deputado estadual Dudu Hollanda (PSD) teve sua conta no WhatsApp invadida. A descoberta se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*