segunda-feira, 22 de outubro de 2018
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Placas de carro com padrão Mercosul são suspensas após decisão da Justiça

A adoção das placas de carro com padrão Mercosul foi suspensa no Brasil após uma decisão provisória da Justiça na quarta-feira (10). O emplacamento com novo visual, QR Code e chip já foi implementado no Rio de Janeiro, e deveria ser expandido para o restante do país em dezembro. E lá vamos nós para mais um atraso.

A desembargadora Daniele Maranhão Costa, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, decidiu suspender o novo padrão por dois motivos. Primeiro, porque o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) está credenciando as fabricantes de placas do Mercosul. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, esta função é dos Detrans (Departamentos Estaduais de Trânsito).

Segundo o UOL, um carro que obteve a nova placa no RJ encontra dificuldades para usar o estacionamento rotativo da Zona Azul em São Paulo, cujo app não é compatível com o padrão Mercosul. Além disso, é mais complicado multá-lo: a CET explica que seus equipamentos “conseguem fotografar os carros, mas não integrar as informações de infratores com as novas placas ao banco de dados do Detran-SP”.

A suspensão foi solicitada pela Aplasc, associação das empresas que fabricam placas automotivas em Santa Catarina.

O Denatran diz que centralizou o credenciamento para combater o monopólio existente no setor, mas a desembargadora acredita que “o órgão não pode, a despeito de solucionar um problema, criar outro, abstraindo da previsão expressa em lei que diz ser dos Detrans a competência para a atividade de credenciamento”.

Por enquanto, a placa do Mercosul não é obrigatória. Ela é oferecida no Rio de Janeiro desde 11 de setembro para veículos novos que recebem o primeiro emplacamento. Isso custa R$ 219,35 para carros e R$ 90,12 para motos, mesmos valores praticados para o modelo antigo. O Denatran previa que todos os estados teriam a placa do Mercosul até 1º de dezembro; ela se tornaria obrigatória apenas em 2024.

O padrão foi criado em 2014, e já é adotado no Uruguai e na Argentina. Ele facilita a fiscalização de carros nos países do Mercosul, e tem recursos para combater fraudes: um chip que armazena dados do veículo e os transmite por radiofrequência; mais um QR Code que armazena um número de série para evitar clonagem e adulteração.

 

TecnoMundo

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Sobrinha de Cícero Cavalcante morre após ser baleada na porta de casa; Vídeo mostra suspeito fugindo

A adolescente de 15 anos, Geovânia Lopes Cavalcante Porangaba, foi baleada no momento em que chegava …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*