terça-feira, 23 de outubro de 2018
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Candidatos de Arapiraca e Coruripe afirmam não ter relação com compra de voto flagrada pela DEIC

Marx Beltrão informou que desconhece material apreendido e nunca compactou com compra de votos; já Ferreira Hora afirmou que dinheiro era para pagar funcionários de campanha 

Os candidatos a Deputado Estadual, Ferreira Hora, e Deputado Federal, Marx Beltrão emitiram nota afirmando não ter envolvimento com o crime de compra de voto flagrado pela Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), na noite de ontem, sexta-feira, 05, na cidade de Marechal Deodoro.

O arapiraquense Ferreira Hora, em entrevista para o Portal G1, que o dinheiro apreendido, que estava escondido na cueca de um cabo eleitoral, era para pagamento de pessoas que trabalharam durante sua campanha. “Não há compra de voto eleitoral. O advogado preso neste caso é uma pessoa que foi candidato a vereador em Marechal que trabalha na campanha. A finalidade do dinheiro achado do ele, que é até mesmo uma quantia pouca, tinha como finalidade pagar as pessoas que estavam trabalhando na campanha distribuindo santinho. Quanto as cópias dos títulos de eleitor, isso deve ser alguma exigência da Justiça Eleitoral que pede que as pessoas que trabalham na campanha sejam cadastradas”, falou Ferreira Hora.

O empresário, candidato a deputado estadual pelo (PRTB), também gravou um vídeo e enviou pelas redes sociais. No vídeo ele afirmou que não compactua com esse tipo de política (de compra de votos), e que as denúncias contra ele foram feitas por pessoas que não querem ver seu crescimento político. “Querem prejudicar o novo”.

Já o deputado federal Marx Beltrão, que está tentando a reeleição pelo PSD, afirmou não ser coligado com Ferreira Hora e chamou a ação de tentativa tosca de lhe prejudicar às vésperas da eleição “com um material desconhecido e preenchido a caneta o número registrado em sua candidatura, material que não foi produzido nem individualmente por Marx”.

Os presos na operação da DEIC foram identificados como Luiz Carlos Teles da Silva, 45 anos (advogado); Sandro Gomes de Melo, 26, que estava com o dinheiro na cueca; Valmir Francisco dos Santos, 55; e José Delano Silva dos Santos, 36 anos. Segundo a polícia, eles foram soltos após pagar fiança e vão responder em liberdade por crime eleitoral.

Leia a notícia sobre a operação: Vídeo. Deic prende suspeitos com dinheiro e material de campanha de deputados Estadual e Federal de Arapiraca e Coruripe

Veja a nota de Marx Beltrão

Sobre a operação deflagrada na noite desta sexta-feira (05/10) pela DEIC, é de causar espanto a tentativa tosca de prejudicar Marx Beltrão às vésperas da eleição com um material desconhecido e preenchido a caneta o número registrado em sua candidatura, material que não foi produzido nem individualmente por Marx, muito menos em parceria com o candidato a deputado estadual que aparece no panfleto impresso, pois Marx não firmou alianças políticas com o mesmo.

Portanto, assegura que desconhece esse material, nunca compactou nem nunca compactuará com práticas relacionadas a compra de votos, ao tempo que solicita aos órgãos fiscalizadores para que investiguem e punam, de forma severa, todo e qualquer político que realize práticas que não estejam de acordo com o livre exercício do voto e da democracia.

O deputado Federal Marx Beltrão, candidato a reeleição, tem firmado parcerias com vários candidatos a deputado estadual, ampliado suas bases políticas em todo o Estado de Alagoas, inclusive na cidade de Marechal Deodoro, cidade que atua fortemente levando recursos e fazendo um trabalho histórico na melhoria da qualidade de vida da população.

Prefeito por dois mandatos e deputado federal, ex-ministro do Turismo, o deputado Marx Beltrão tem uma trajetória política extensa, é ficha limpa e não tem nada que o desabone, seja como cidadão ou como homem público.

 

fonte .jaenoticia

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Sobrinha de Cícero Cavalcante morre após ser baleada na porta de casa; Vídeo mostra suspeito fugindo

A adolescente de 15 anos, Geovânia Lopes Cavalcante Porangaba, foi baleada no momento em que chegava …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*