terça-feira, 13 de novembro de 2018
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Municípios de Alagoas suspendem as aulas e têm dificuldades para manter os serviços essenciais

Depois de oito dias da paralisação dos caminhoneiros, oito municípios alagoanos informaram, nesta segunda-feira (28), que, devido à crise gerada pela falta de combustível, as aulas estão suspensas até que a situação se normalize. Em algumas cidades apenas os serviços básicos de saúde estão sendo mantidos.

Informações da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) dão conta de que, até o momento, Arapiraca, Inhapi, Craíbas, Coité do Noia, Porto de Pedras, Matriz do Camaragibe, Água Branca e Marechal Deodoro estão com as aulas suspensas.

O Presidente do Sindcombustivel em Alagoas, James Thorp, afirmou que o momento é de cautela. Apesar da distribuição do combustível ter sido retomada hoje, a obstrução das estradas pode impedir o abastecimento em algumas cidades.

“Após a liberação do Porto de Maceió, na noite de ontem, domingo (27), a distribuição de gasolina começou a ser normalizada, primeiramente na capital. Os municípios ainda estão numa situação difícil, mas os caminhões começam a ser distribuídos hoje. O momento é de cautela, porque, como vemos no noticiário, as estradas estão obstruídas. O nosso combustível precisa de etanol na mistura e o que chega por frete rodoviário é sem essa mistura, então, não existe uma normalidade como um todo. A ANP (Agência Nacional do Petróleo) liberou o percentual não de 27%, mas de 21% de mistura, já por causa da falta do material na base. Enquanto as rodovias não estiverem liberadas, temos o risco de não conseguir abastecer todas as cidades”, declarou James Thorp. 

Na segunda maior cidade do estado de Alagoas, Arapiraca, as aulas estão suspensas, mas os serviços essenciais continuam funcionando nesta segunda-feira (28). O prefeito Rogério Teófilo convocou uma reunião extraordinária, ontem, domingo (27), com seu secretariado. 

Com a falta de abastecimento, algumas UBSs e Centros Especializados podem ter seus serviços limitados nesta segunda-feira (28). São mantidas as urgências e o translado de pacientes. O Procon da cidade vai continuar avaliando os preços dos combustíveis e dos alimentos nos supermercados, por conta de sua eventual escassez.

Na mesma semana que Alagoas consegue o avanço de encerrar 100% dos lixões, os municípios estão com dificuldades para levar os resíduos sólidos até os aterros sanitários. 

A prefeita de Feliz Deserto, Rosiana Beltrão, explicou que no município dela, por exemplo, antes levava o resíduo para o antigo lixão de Coruripe, a uma distância de 55 km ida e volta, agora o aterro fica em Penedo, são 250 km ida e volta. “Agora que temos que levar o lixo para os aterros aumenta muito o consumo de combustível”, declarou Rosiana. 

Em Capela, a coleta de lixo foi reduzida e só acontecerá três vezes por semana. No hospital da cidade, José Vânio de Barro Morais, as ambulâncias serão usadas para o transporte somente de pacientes em caso de urgência e emergência.

Em Pilar, o prefeito Renato Filho lançou um decreto com uma série de medidas a serem tomadas no município. Uma delas é que todos os carros pequenos da prefeitura e locados sejam guardados e usados apenas em momentos “emergenciais”. Outra decisão do gestor é que os dois postos que são da cidade e prestadores de serviço da prefeitura reservem um percentual de gasolina e óleo diesel para atender às demandas que são importantes para a cidade: transporte escolar, ambulância, viaturas da Guarda Municipal e coleta de lixo.

O prefeito de Inhapi, José Cícero, afirmou que, até domingo, só um posto tinha combustível, os outros já secaram, as aulas foram suspensas, o carro de lixo também está parado e só as ambulâncias estão sendo abastecidas. Em Estrela de Alagoas, o prefeito Arlindo Garrote declarou que a cidade está sem combustível e a frota de carros municipais está completamente parada. 

Já em Craíbas, o prefeito Ediel Leite afirmou que as aulas estão suspensas, assim como alguns serviços essenciais, pois os três postos de combustível da cidade já estão zerados.

A prefeita Rosiana Beltrão, de Feliz Deserto, explicou que, apesar do combustível não ter acabado até domingo, conversou com o dono do Posto para evitar a venda de gasolina em galões, buques, por conta do perigo de incêndio, pois muitas pessoas estavam estocando gasolina em casa, isso é muito arriscado.

O prefeito Senninha, de Coité do Noia, afirmou que, além das aulas, o programa Saúde da Família também está parado e a ambulância tem combustível para pouco tempo. Em Porto de Pedras, as aulas estão suspensas e só tem gasolina para a ambulância.

Em Palestina, o combustível acabou nos postos. “Os carros estão rodando com o que ainda têm no tanque, assim que acabar, tudo vai parar”, afirmou a prefeita Eliane Lisboa. Em Matriz do Camaragibe, só tem diesel, as aulas estão suspensas e a coleta de lixo se mantem só até hoje.

O prefeito de Mata Grande declarou que, dos quatro postos, apenas um tem gasolina, não tem etanol e diesel em nenhum deles. “A frota está toda abastecida. Caso não chegue diesel, serão suspensas as aulas e as viagens intermunicipais. Iremos manter o funcionamento apenas do hospital e no PSF. Reservamos 10 mil litros de gasolina para frota municipal”, afirmou.

Em Mar Vermelho, a prefeita Juliana Almeida afirmou que a prioridade no município é o transporte escolar, o transporte de urgência e emergência e a coleta de lixo. O Programa Saúde da Família foi suspenso.

Já em Quebrangulo, os postos da cidade já estão sem combustível. A coleta de lixo e o transporte escolar funcionarão até quarta-feira (30) e as ambulâncias até sexta-feira (01). Os demais serviços já foram paralisados. Murici e Jacuípe também estão sem nenhum combustível.

Em Poço das Trincheiras, o abastecimento está normal, embora controlado. Os ônibus escolares, ambulâncias e os transportes para hemodiálise estão liberados, os demais, com certo controle. A prefeitura de São José da Laje pede ajuda da população para reduzir ao máximo a produção de lixo, já que a coleta ficará prejudicada na cidade.

A prefeitura de Maragogi informou que está dando prioridade aos serviços essenciais como guarda municipal, coleta de lixo e serviços de saúde, até a normalização dos abastecimentos, previsto para a próxima sexta-feira (01). Não houve modificações no calendário escolar, pois os veículos de transporte escolar estão abastecidos. Já sobre os transportes dos universitários, estão esperando o abastecimento nos postos de gasolina.

Em Água Branca, os postos da cidade estão desabastecidos, a frota municipal está com uma reserva mínima para as ambulâncias. As aulas foram suspensas por 48 horas, a coleta de lixo está com dificuldades, pois os veículos não estão conseguindo chegar ao aterro sanitário devido às paralisações na rodovia e os médicos do PSF não estão conseguindo chegar ao município por falta de combustível em seus veículos.

O prefeito de Maribondo, Leopoldo Cesar Amorim Pedrosa, declarou que a cidade está um caos, a coleta de lixo já foi encerrada e todos os postos de combustível estão sem gasolina.

A Prefeitura de Marechal Deodoro informou que, devido à falta de combustível (óleo diesel) para abastecer os transportes escolares do município, as aulas nas escolas municipais ficarão suspensas a partir desta terça-feira (29). Logo que a situação dos combustíveis for normalizada no município, as aulas serão retomadas.

Com assessoria AMA

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Alunos da Escola Araújo Lobo se destacam em Olimpíada Brasileira de Robótica, em João Pessoa

Os estudantes da Escola Municipal Dona Maria de Araújo Lobo foram destaque na Olimpíada Brasileira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*