quarta-feira, 23 de Maio de 2018
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Globo é processada por racismo em nova novela das nove

A Rede Globo é alvo de um processo por práticas racistas e discriminatórias por sua nova novela “Segundo Sol”, próxima atração de seu horário nobre. A União de Negros pela Igualdade (Unegro Brasil) ajuizou uma ação civil pública contra a emissora na 2ª Vara Especial da Fazenda Pública em Salvador, na Bahia. Para a entidade, o elenco da novela não expressa a sociedade soteropolitana e baiana. Procurada para comentar o assunto, a emissora não deu retorno ao Congresso em Foco até a conclusão desta reportagem.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), no ano passado, os negros eram 85% da população da capital baiana. Mesmo diante desse cenário, a novela, ambientada em Salvador, é protagonizada por atores brancos. A petição afirma que a prática racista não atinge somente a população baiana, mas “fere a toda uma população e porque não dizer à sociedade brasileira, haja vista que, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – PNAD-IBGE, a população brasileira estimada no ano passado, 2017, era de 205 milhões e 500 mil habitantes, sendo que os negros representam hoje a maioria, ou seja, cinquenta e cinco por cento, muito embora esse percentual na Bahia seja mais elevado (quase 80%)”.

Protagonizada pelos atores Emílio Dantas, Vladmir Brichta, Giovana Antonelli, Deborah Secco e Adriana Esteves, todos brancos, a novela de autoria de João Emanuel Carneiro estreará no dia 14 de maio e conta a história de um cantor de axé que é dado como morto após a queda de um avião. O principal conflito da trama consiste no fato de que o protagonista, Emílio Dantas, é convencido a não dizer a verdade sobre o que aconteceu e assumir uma nova identidade em uma localidade distante do litoral baiano, onde formará um par romântico – e branco – com a personagem de Giovana Antonelli.

A ação civil pública é assinada pelo advogado Egberto Magno e pede uma liminar para obrigar a TV Globo a incluir negros e negras como protagonistas na gravação dos próximos capítulos. “[…] se para implementar essas obrigações for necessária a readequação do roteiro, que sejam adotadas as medidas pela emissora”, reclama a ação judicial.

Caso a petição seja aceita, a entidade pede que a Globo seja multada em R$ 1 milhão por dia em caso de descumprimento, valor que será destinado a inserções de publicidade educativa sobre a questão racial que deverão ser exibidas nos intervalos da novela. Este site enfatiza que uma eventual manifestação do Grupo Globo sobre o assunto será veiculada, na íntegra, sem qualquer alteração textual ou editorial, a qualquer hora e tão logo seja encaminhada à equipe de jornalismo.

 

Fonte Congresso em Foco

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

Extensão do MDB (desde sempre), PRTB não precisa coligar

Quem tem Adeilson Bezerra na condução de uma campanha proporcional à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*