sexta-feira, 15 de dezembro de 2017
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

PREFEITURA DO INTERIOR ABUSA DO MORALISMO E EXIGE QUE MULHERES CUBRAM DOIS TERÇOS DAS COXAS

Em Santa Luzia do Norte as mulheres que gostam de usar minissaia e shorts, ou que se sentem bem ao trajar um vestido mais curto não poderão mais ter acesso ao prédio da prefeitura ou de outras secretarias e  órgãos do município.

Segundo a portaria do último dia 26 de setembro, para ingressar em qualquer repartição pública na cidade, a mulher deve estar cobrindo pelo menos dois terços "das coxas".

A medida tem gerado muitas discussões da população em geral, especialmente das feministas atuais que lutam por igualdade e espaço na sociedade.

O prefeito de Santa Luzia do Norte, na Região Metropolitana de Maceió, decidiu publicar uma portaria que proíbe a entrada de "pessoas que se achem vestidas em trajes incompatíveis com o decoro e a dignidade".

Os homens também são alvos da portaria e não podem entrar nas repartições públicas com camiseta regata, short, ou bermuda.

Para a jornalista Niara Aureliano, simpatizante da causa feminista, a última coisa que deveria ser observada em alguém da população que buscar um órgão público é a roupa. "Decisões como estas afastam a população do poder púbico. Principalmente nas câmaras municipais e prefeituras, onde a população já não se reconhece mais nestes espaços", critica.

Em meio às críticas algumas ironias estão sendo levantadas como a da necessidade do porteiro ficar de posse de uma fita métrica para medir os 2/3 das coxas das mulheres.

A revolta não é só das mulheres. Os homens também questionam sobre a proibição do uso de bermuda e criticam que diante do calorão do nosso clima terão de usar calças?

Fonte: tnh1.com.br

Sobre WebRádio Juventude

Verifique isso

RETROSPECTIVA E REFLEXÃO

Não quero aqui fazer uma “lavagem de roupas”, pois poderia me tornar enfadonho. Quero apenas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*